MiR PBS - Artigos
Terça, 27 Novembro 2018 09:19

Quatro Chaves para o Milagre

Texto: “Lucas 6:6-10

INTRODUÇÃO

Podemos ter áreas “mirradas” em nossas vidas, problemas que nos impedem de conquistar, que nos envergonham e entristecem, e até limitam nossa relação com as outras pessoas. Assim como esse homem da história bíblica, que tinha uma mão ressequida e precisava de um milagre, nós também, às vezes, precisamos. Mas, como conseguir que Deus aja e nos liberte das coisas que estão amarradas em nossas vidas?

  1. ESTANDO ONDE JESUS ESTÁ.

“Sucedeu que, em outro sábado, entrou ele na sinagoga e ensinava. Ora, achava-se ali um homem cuja mão direita estava ressequida” (v.6). Muitas pessoas buscam o milagre no lugar errado ou nem o buscam. Esse homem estava onde Jesus estava operando e, por isso, ele foi curado. E onde é que Jesus está? Ele está no meio de pessoas que o buscam, que se reúnem em seu nome, assim como na célula e na igreja (Mt 18.20). Não adianta buscá-lo no meio da idolatria ou em ambientes que conduzem ao pecado: “Eu sou o Senhor, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura” (Is 42.8).

  1. VENCENDO OS PRECONCEITOS RELIGIOSOS.

“Os escribas e os fariseus observavam-no, procurando ver se ele faria uma cura no sábado, a fim de acharem de que o acusar” (v.7) – Por incrível que pareça, a religiosidade é um dos maiores empecilhos para que as pessoas tenham uma experiência com Deus. Esse homem, para ser curado, precisou enfrentar pessoas (religiosos que não queriam que ele abraçasse a fé e se tornasse um crente em Jesus) e preconceitos (ideias religiosas distorcidas, que não tinham respaldo na Palavra de Deus). Será que tudo o que você aprendeu sobre Jesus ou sobre Deus está na Bíblia, ou há muitos equívocos da religião?

  1. ASSUMINDO NOSSA FÉ EM JESUS.

 ”Mas ele, conhecendo-lhes os pensamentos, disse ao homem da mão ressequida: levanta-te e vem para o meio; e ele, levantando-se, permaneceu de pé” (v.8). Às vezes, queremos a bênção, mas não queremos assumir a nossa fé e obediência ao Senhor diante dos outros. Temos receio de ser rejeitados, ridicularizados ou taxados como “fanáticos”. No entanto, Deus só tem compromisso com quem assume compromisso com Ele: “Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus” (Mt 10.32-33).

  1. RECONHECENDO NOSSAS LIMITAÇÕES.

“E, fitando todos ao redor, disse ao homem: Estende a mão. Ele assim o fez, e a mão lhe foi restaurada” (v.10). Aquele homem só foi curado quando expôs a sua vergonha, o seu problema. Da mesma maneira, quando se chega à igreja, é preciso ser humilde o suficiente para permitir que os líderes e irmãos saibam as áreas que necessitam de cura e, assim, através do quebrantamento e obediência, o Senhor transforme e mude o que é vergonhoso num grande testemunho: “Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e façam oração uns pelos outros, para que vocês sejam curados. A oração de uma pessoa obediente a Deus tem muito poder” (Tg 5.16).

CONCLUSÃO

Deus tem milagres para todos os homens todos os dias, como por exemplo; o sol, a chuva, e o ar que respiramos, mas, à semelhança do que Ele fazia com os discípulos lhes contando coisas, lhes revelando segredos, que não contava a todos, Ele também tem para os seus hoje milagres específicos que não acontecem na vida de todos, porque Ele é um Deus de aliança.

Publicado em Células
Terça, 20 Novembro 2018 17:07

Nosso Deus de Misericórdia

Texto: “Romanos 5:6-11

INTRODUÇÃO

O texto básico desta ministração é um convite para conhecermos o Senhor da misericórdia. Ele nos incentiva a irmos em direção ao trono de Deus para recebermos o que há em Seu coração. No coração de Deus, há misericórdia e graça abundante.

  1. O QUE É MISERICÓRDIA E GRAÇA

Misericórdia é não receber o castigo que se merece. Graça é receber a benção que não se merece, é um favor imerecido.

A Bíblia ensina que todos os homens são pecadores e não há um perfeito se quer. Também ensina que o resultado do pecado é a morte. Então, o homem, que é pecador, recebe a misericórdia no sentido de que merece ser punido pelos seus erros, mas Deus lhe oferece perdão. Ele também recebe a graça de Deus, porque não merece ser socorrido, mas o Senhor oferece salvação a qualquer um que a desejar. (Ef. 2:4-5).

Existem pessoas que concebem uma ideia errada de Deus, pois pensam que Ele é castigador, severo e durão. Mas, Ele não é. Ele é, sim, um Deus amável e terno. Esta é a confiança que devemos ter. Mesmo quando estamos errados, podemos confiar no Seu grande coração. Nossos pecados promovem laços e algemas em nossas vidas, e só Deus pode nos libertar. Precisamos ser socorridos e Ele tem poder sobre a morte e o inferno.

  1. O PERDÃO LIBERTA

Muitos são os que estão algemados com a falta do perdão. Quem não perdoa adoece na alma. O coração se torna uma caverna de sentimentos ruins, cheio de escuridão. As lembranças da dor provocada pelas ofensas, traições e rejeição, vão alienando o indivíduo, subtraindo sua capacidade de confiar e amar as pessoas, e só chegando ao arrependimento, confessando a Deus as feridas da alma, perdoando a quem lhe ofendeu e recebendo o perdão de Deus, é que se alcança a cura.

Quem é experimentado em misericórdia consegue exercer misericórdia com o próximo, e o inverso também é verdadeiro. Por isso a Palavra nos convida: “Chegai-vos a Deus e ele se achegará a vós” (Tg 4:8). Assim receberemos Seu perdão, bem como aprendemos a perdoar aos que nos ferem e odeiam. Não é porque se tem dificuldade para perdoar que Deus também seja assim. A confusão ocorre quando queremos assemelhar Deus a nós, quando, em verdade, nós é que temos que nos assemelhar a Ele.

CONCLUSÃO

Hoje é o dia oportuno para se achegar ao trono da graça. Devemos confiar e ter fé, pois Deus é bom, cheio de amor e misericórdia. Ele deseja derramar sobre nossas vidas misericórdia e graça. Todos nós somos carentes disso, porque todos nós temos falhas. Assim como falhamos, os outros falham também. Porém, Jesus nunca falha! Ele sempre nos socorre. Basta um coração quebrantado e o resto Ele fará. (Sl.51:17).

 

Publicado em Células
Segunda, 12 Novembro 2018 10:42

Vivendo os Princípios do Reino

Texto:  Mateus 5.1-12

 

INTRODUÇÃO

Você se considera um cidadão do Reino? A sua vida está segundo os princípios desse Reino? No Sermão da Montanha, Jesus descreve as características daqueles que Ele procura para povoar o Reino dos Céus. Jesus apresenta os “bem-aventurados” como sendo: os pobres de espírito, os que choram, os mansos, os que têm fome e sede de justiça, os misericordiosos, os limpos de coração, os pacificadores, os que sofrem perseguição por causa da justiça e os que são injuriados por causa dEle. Por mais que pareça um paradoxo, as bem-aventuranças, que contém os valores eternos do Reino dos Céus, contrapõem-se aos valores do mundo, que são temporários. Cada bem-aventurança traz uma benção de Deus para aqueles que querem viver como cidadãos do Reino.

  1. NECESSÁRIO É NASCER DE NOVO

O Reino dos Céus é um governo estabelecido por Deus, tendo, como Rei, Jesus Cristo. Você pode se tornar um cidadão (ã) do Reino entregando a sua vontade à vontade do Rei, e buscando viver os Seus princípios. Jesus disse: “nem todo aquele que diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus”(Mt 7.21). O cidadão do Reino é uma pessoa nascida da água e do Espírito (Jo 3:5), isto é: “sendo de novo gerado, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela Palavra de Deus, viva e que permanece para sempre” (1Pe 1.23). Entendemos então que a porta para entrarmos no Reino de Deus é nascer de novo, isto é, ser gerado pela Palavra de Deus, tornando-se uma nova criatura.

  1. TORNE-SE UM CIDADÃO DO REINO

O homem se torna um cidadão do Reino à medida que ele confessa os seus pecados e, arrependido, segue os princípios do Rei, crendo que Ele é o único caminho para chegar a Deus, sendo, assim, transportado da escuridão para o reino da luz. “Ele nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor, em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber: a remissão dos pecados” (Cl 1.13-14). Como cidadãos do Reino de Deus, os nossos valores mudam. Não mais vemos o mundo como o homem do mundo vê, pois agora pertencemos a um reino espiritual e não físico. Estamos no mundo, mas não pertencemos mais a ele (Jo 17.14). Agora somos, embora vivendo no mundo, cidadãos do céu.

CONCLUSÃO

Jesus está no comando do Reino dos Céus.  Satanás não pode implantar a desordem nem o caos. Ele não tem poder sobre quem está vivendo no Reino de Deus. Quem tudo controla é Jesus porque o governo está sobre os Seus ombros. Nada pode atingir a mente dos que são protegidos pelo Rei e o servem de todo coração. Viver o Reino de Deus é ter a garantia de proteção, paz e esperança de um futuro bem-aventurado.

 

Publicado em Células
Segunda, 12 Novembro 2018 10:42

Vivendo os Princípios do Reino

Texto:  Mateus 5.1-12

 

INTRODUÇÃO

Você se considera um cidadão do Reino? A sua vida está segundo os princípios desse Reino? No Sermão da Montanha, Jesus descreve as características daqueles que Ele procura para povoar o Reino dos Céus. Jesus apresenta os “bem-aventurados” como sendo: os pobres de espírito, os que choram, os mansos, os que têm fome e sede de justiça, os misericordiosos, os limpos de coração, os pacificadores, os que sofrem perseguição por causa da justiça e os que são injuriados por causa dEle. Por mais que pareça um paradoxo, as bem-aventuranças, que contém os valores eternos do Reino dos Céus, contrapõem-se aos valores do mundo, que são temporários. Cada bem-aventurança traz uma benção de Deus para aqueles que querem viver como cidadãos do Reino.

  1. NECESSÁRIO É NASCER DE NOVO

O Reino dos Céus é um governo estabelecido por Deus, tendo, como Rei, Jesus Cristo. Você pode se tornar um cidadão (ã) do Reino entregando a sua vontade à vontade do Rei, e buscando viver os Seus princípios. Jesus disse: “nem todo aquele que diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus”(Mt 7.21). O cidadão do Reino é uma pessoa nascida da água e do Espírito (Jo 3:5), isto é: “sendo de novo gerado, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela Palavra de Deus, viva e que permanece para sempre” (1Pe 1.23). Entendemos então que a porta para entrarmos no Reino de Deus é nascer de novo, isto é, ser gerado pela Palavra de Deus, tornando-se uma nova criatura.

  1. TORNE-SE UM CIDADÃO DO REINO

O homem se torna um cidadão do Reino à medida que ele confessa os seus pecados e, arrependido, segue os princípios do Rei, crendo que Ele é o único caminho para chegar a Deus, sendo, assim, transportado da escuridão para o reino da luz. “Ele nos tirou da potestade das trevas e nos transportou para o Reino do Filho do seu amor, em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber: a remissão dos pecados” (Cl 1.13-14). Como cidadãos do Reino de Deus, os nossos valores mudam. Não mais vemos o mundo como o homem do mundo vê, pois agora pertencemos a um reino espiritual e não físico. Estamos no mundo, mas não pertencemos mais a ele (Jo 17.14). Agora somos, embora vivendo no mundo, cidadãos do céu.

CONCLUSÃO

Jesus está no comando do Reino dos Céus.  Satanás não pode implantar a desordem nem o caos. Ele não tem poder sobre quem está vivendo no Reino de Deus. Quem tudo controla é Jesus porque o governo está sobre os Seus ombros. Nada pode atingir a mente dos que são protegidos pelo Rei e o servem de todo coração. Viver o Reino de Deus é ter a garantia de proteção, paz e esperança de um futuro bem-aventurado.

 

Publicado em Células
Segunda, 05 Novembro 2018 10:14

Recebendo um Novo Coração

Texto: “Ezequiel 36:26

INTRODUÇÃO:

Deus falou através do profeta Jeremias que faria uma Nova Aliança com Seu povo, não mais escrita em tábuas de pedra, mas impressa no coração humano (Jr 31:33, 2Co 3:3). Este é o tempo em que o Senhor quer selar esta profecia em sua vida. O homem sem Deus se corrompe, a cada dia, pois é influenciado pelo meio em que vive e pelos relacionamentos que tem, mas aquele que se aproxima do Senhor, buscando intimidade e se deixa guiar por Ele, desfrutará de uma nova vida que se renovará a cada manhã – Uma Nova Aliança. Hoje, vivemos um novo tempo, o tempo da Graça de Deus. Jesus é o Mediador entre Deus e o homem (Hb 12:24), e o seu sangue é o sinal desta Nova Aliança (Mt. 26:28; 1Tm 2:5). Todo aquele que aceita Jesus como Senhor e Salvador, receberá um coração renovado e assim tornar-se-á participante desta aliança. O caminhar com Jesus leva o homem à restauração. Só Jesus pode operar o milagre da renovação de corações.

Características de um novo coração:

  1. UM CORAÇÃO RENOVADO E QUEBRANTADO.

Toda pessoa orgulhosa tem um coração duro. A Bíblia diz que Deus resiste ao soberbo (Tg. 4:6), mas não rejeita um coração contrito (Sl.51:17). O quebrantamento demonstra rendição, dependência total do Senhor. Não se trata de lamento ou choro, mas de uma entrega, sem reservas ao Senhorio de Jesus. Um coração quebrantado atrai a atenção de Deus, e as mudanças virão a partir disso.

  1. UM CORAÇÃO RENOVADO E CURADO.

Para ter uma aliança com Deus, todas as áreas da vida deverão estar abertas para receber a cura. Ser curado na alma é ser livre e resolvido nas emoções. É saber que sua vida está nas mãos de Deus e tudo concorrerá para o seu bem. Um momento de aflição pode acontecer, mas aquele que tem um coração renovado logo recebe a Paz, e não vive mais sob o jugo da ansiedade, porque crê no cuidado do Senhor (Fp 4:6; 1Pe 5:7).

Na vida, ocorrem situações que ferem a alma, e geralmente as feridas são causadas pelas pessoas mais queridas: pais, maridos, esposas, filhos, irmãos, noivos, discípulos e amigos. A tendência humana é alimentar estas feridas, mas quem tem um coração renovado é benigno, compassivo e perdoador (Ef.4:32). Uma alma curada é livre do ódio, pois nela habita o perdão. Não fique paralisado, nem dê vazão às emoções geradas pela situação desagradável. Tome posse do perdão!

  1. UM CORAÇÃO RENOVADO E CONSOLIDADO.

A dúvida persegue o homem desde o Gênesis, quando a serpente lançou o seu veneno no coração de Eva. O diabo não mudou sua estratégia, ele permanece gerando situações e usando pessoas para ferir seu coração. O objetivo dele é semear a incredulidade, a dúvida e a desconfiança, trazendo desmotivação e quebrando relacionamentos. Porém, uma alma consolidada não fica enganada. O discípulo consolidado é firme, decidido e não se deixa levar por aparência, nem pelas astutas ciladas do diabo. Ele não empresta o seu ouvido à maledicência, nem entra em contendas, antes tem prazer em conversas saudáveis.

CONCLUSÃO:

Este é o tempo de abrirmos todos os compartimentos do nosso coração para Jesus. Nada pode ficar escondido, ou camuflado. Ore ao Senhor: “Eu abro o meu coração e desejo que ele seja renovado por Ti. Arranca Senhor, tudo que impede o meu caminhar contigo, eu quero ter uma alma quebrantada, curada e consolidada. Ajuda- me Deus, a ser um vencedor. Amém”.

Publicado em Células

Programações

Blog do MiR PBS