MiR PBS - Artigos
Terça, 26 Fevereiro 2019 07:54

Pense Como um Vencedor

Texto:   João 3:16

 

INTRODUÇÃO

Jesus nos ensinou a maneira como poderíamos nascer de Deus: “O que não nascer da água e do Espírito, não poderá nascer no reino de Deus”. A água nos fala do batismo, enquanto que nascer do Espírito é o resultado de aceitar Jesus no coração como Senhor e Salvador de nossas vidas. Este passo de fé e obediência produz uma concepção no profundo de nosso coração e uma nova natureza começa a emergir dentro de nós. Quando isso acontece, o mundo espiritual se abre para nossa vida e, mediante o estudo da Palavra, da oração e da intimidade com Deus, vamos crescendo e nos fortalecendo, ou seja, começamos a pensar como vencedores.

1.   PROTEGENDO NOSSOS PENSAMENTOS

O inimigo trabalha através dos pensamentos, porque sabe que se as pessoas aceitam suas ideias, em suas mentes, ele pode facilmente conquistar suas vontades. Então começa a lançar todo tipo de dardos. Ef 6:16. Se, em nossa mente, não aceitarmos as sugestões do inimigo e permanecermos firmes no Senhor, não sofreremos nenhum dano. Mas, quem cai nas armadilhas do inimigo e aceita suas ideias, estas se tornam tão fortes que começam a trabalhar no interior da pessoa para dobrar a sua vontade. Quando isso acontece, as pessoas ficam espiritualmente desprotegidas e enlaçadas. A renovação da mente deve ser diária. Quando não renovamos a nossa mente, nos tornamos legalistas. Todos os dias nós devemos ter a mente aberta para poder entender o que Deus quer que façamos. Rm 12:2.

2.  TENDO A MENTE DE CRISTO

Tudo o que Jesus pensava estava ligado a Palavra. Por isso, Ele dizia: “Pai, fazer tua vontade é o que me agrada”.  Cada palavra que Jesus dizia, já tinha a aprovação do Pai Celestial. Ele nunca permitiu que Sua mente estivesse em ociosidade. Quando Satanás quis influenciá-lo nos pensamentos, disse-lhe: “Afasta-te de mim porque está escrito: nem só de pão viverá o homem”, até que o adversário se afastou dele. Tiago disse: “Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós” (Tg 4:7).

.

CONCLUSÃO

Os resultados que nosso coração deseja alcançar dependem, em grande parte, das nossas atitudes e pensamentos. Esforcemo-nos para termos a mente de Cristo, uma mente renovada de conquista e disposta a que a vontade de Deus se estabeleça em nossa própria vida, casa, família, trabalho e ministério. “Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todos os dias; fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Contudo, em todas as coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.” (Romanos 8:36-37).

 

Publicado em Células
Segunda, 18 Fevereiro 2019 09:45

A Terceira Dobra Do Cordão

Texto:  Eclesiastes 4.9-12 

INTRODUÇÃO

O texto básico desta mensagem começa com a expressão “melhor é serem dois do que um.” Entretanto, o término do texto nos fala que “o cordão de três dobras não se quebra tão depressa” (vs.12), dando-nos a entender que, na questão da unidade, se há benefícios em serem dois, melhor ainda é serem três, ficando implícito que a terceira dobra representa uma força maior, tornando o cordão muito mais resistente, pois uma corda de três dobras dificilmente se quebra.

1.   A TERCEIRA DOBRA: A PRESENÇA DE DEUS  

A Bíblia nos ensina que o inimigo pode querer prevalecer conta um, mas, se estiverem dois em unidade, oferecerão maior resistência. Se, por desventura, um vier a cair, o outro poderá levantá-lo, mas, se estiver um só, quem o levantará? Quando estamos sós, nos tornamos mais vulneráveis aos ataques do inimigo. Por vezes, discorremos sobre o texto acima como sendo direcionado exclusivamente para o matrimônio, mas, na verdade, ele fala do relacionamento de um modo geral, entre pessoas.  Como cristãos, entendemos que a terceira dobra representa a presença de Deus, tanto no relacionamento conjugal, como no relacionamento entre irmãos.

2.   A TERCEIRA DOBRA: O ESPÍRITO SANTO

A presença do Espírito Santo deve representar a terceira dobra a ser cultivada nos relacionamentos entre esposo e esposa, pais e filhos, líder e liderado e, como nos ensina a Palavra, entre irmãos, aqueles que professam a mesma fé. Deus deve ser sempre o referencial para podermos andar em unidade, conforme o texto: “Sede, pois imitadores de Deus, como filhos amados.” (Ef 5.1). Ele não nos criou para vivermos isolados um dos outros. Todos nós precisamos do apoio e ajuda dos nossos irmãos na fé. Isto aprendemos quando também “chegamos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo.” (Ef 4.13). 

3.   A TERCEIRA DOBRA: A UNIÃO FRATERNAL

O Senhor nos mostra a vida em unidade, entre irmãos, como algo muito agradável aos Seus olhos. Sl 133:1. Somos diferentes um dos outros, mas foi assim que Deus nos fez. Por isso, como seres humanos, temos dificuldade de vivermos relacionamentos verdadeiros uns com os outros. Contudo, isto não nos dá legalidade para andarmos em desunião. Nisto está o nosso grande desafio: não anularmos as nossas diferenças, pois é nessa diversidade que o amor atuará, nos ajudando a viver em união. Pelo Sangue de Jesus, fomos resgatados das trevas para sua maravilhosa luz para, em unidade, compormos a igreja, a qual representa o Corpo de Cristo, onde devemos viver unidos para Sua honra e glória. Amém! 

CONCLUSÃO

“Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque, se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só, pois, caindo, não haverá outro que o levante”. Assim nos diz a Palavra de Deus. Devemos atentar, também, para a oração que Jesus fez ao Pai pelos seus discípulos e pelos que haveriam de n’Ele crer, entre os quais estamos nós, hoje: “E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.” (Jo 17.20-21).

Publicado em Células
Segunda, 11 Fevereiro 2019 10:23

A Força do Perdão

Texto:  Lucas 6.37

INTRODUÇÃO

Acreditamos ser uma das coisas mais difíceis para o ser humano, o ato de perdoar. O perdão é um ato de fé, já que nossos sentimentos se recusam a liberá-lo.

  1.  O SENHOR NOS PERDOA SEMPRE 

Não é lógico perdoar aqueles que nos tem traído, que abusou da nossa confiança, que nos roubou, nos feriu, nos insultou, nos difamou etc. Nenhum ser humano é merecedor de perdão, mas o grande ensino que o Senhor compartilha é que Ele nos perdoa de todas as formas, não porque mereçamos, mas porque Ele é Deus misericordioso que estende Seu perdão sem limites. Através do profeta Ezequiel, o Senhor disse: “E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.” (Ez 36.26-27).

  1.   DEUS NOS DÁ UM SÓ CORAÇÃO

Ninguém neste mundo poderá jamais ter dois corações ao mesmo tempo. Portanto, ninguém pode ter um coração para Deus e outro para o pecado. Aquele que está do lado de Deus, aborrece o pecado. A promessa de Deus é nos dar um novo coração e um espírito novo. Quando isso acontece, Deus remove de nós o coração duro e também o espírito rebelde. O espírito novo que recebemos é o mesmo Espírito de Deus. Então, com esse novo coração, poderemos andar nas pegadas de Jesus e termos a graça de perdoar aqueles que nos tem ofendido. Talvez isto seja a maior dificuldade de muitos cristãos. Todavia, Deus nos capacita a perdoar. O Apóstolo Paulo, que chegou a compreender isto, afirma que o Espírito de Deus mora dentro de nós. Ele é o único que nos pode ajudar a entender as Escrituras, nos dando a força para obedecê-la.

CONCLUSÃO

Que hoje você possa fazer esta confissão: Tenho em mim o maior poder que existe no universo que é o poder de amar e perdoar. Ser perdoado significa ser abençoado, e só é possível alcançar esta benção quando se perdoa.


Publicado em Células
Segunda, 11 Fevereiro 2019 10:23

A Força do Perdão

Texto:  Lucas 6.37

INTRODUÇÃO

Acreditamos ser uma das coisas mais difíceis para o ser humano, o ato de perdoar. O perdão é um ato de fé, já que nossos sentimentos se recusam a liberá-lo.

  1.  O SENHOR NOS PERDOA SEMPRE 

Não é lógico perdoar aqueles que nos tem traído, que abusou da nossa confiança, que nos roubou, nos feriu, nos insultou, nos difamou etc. Nenhum ser humano é merecedor de perdão, mas o grande ensino que o Senhor compartilha é que Ele nos perdoa de todas as formas, não porque mereçamos, mas porque Ele é Deus misericordioso que estende Seu perdão sem limites. Através do profeta Ezequiel, o Senhor disse: “E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.” (Ez 36.26-27).

  1.   DEUS NOS DÁ UM SÓ CORAÇÃO

Ninguém neste mundo poderá jamais ter dois corações ao mesmo tempo. Portanto, ninguém pode ter um coração para Deus e outro para o pecado. Aquele que está do lado de Deus, aborrece o pecado. A promessa de Deus é nos dar um novo coração e um espírito novo. Quando isso acontece, Deus remove de nós o coração duro e também o espírito rebelde. O espírito novo que recebemos é o mesmo Espírito de Deus. Então, com esse novo coração, poderemos andar nas pegadas de Jesus e termos a graça de perdoar aqueles que nos tem ofendido. Talvez isto seja a maior dificuldade de muitos cristãos. Todavia, Deus nos capacita a perdoar. O Apóstolo Paulo, que chegou a compreender isto, afirma que o Espírito de Deus mora dentro de nós. Ele é o único que nos pode ajudar a entender as Escrituras, nos dando a força para obedecê-la.

CONCLUSÃO

Que hoje você possa fazer esta confissão: Tenho em mim o maior poder que existe no universo que é o poder de amar e perdoar. Ser perdoado significa ser abençoado, e só é possível alcançar esta benção quando se perdoa.


Publicado em Células
Segunda, 04 Fevereiro 2019 09:30

Gratidão: Um Ato de Reconhecimento

Texto:   Lucas 17:11-19 

INTRODUÇÃO

Ser grato é demonstrar reconhecimento por um favor recebido. Mas nem sempre isso acontece, porque quase sempre o que observamos é ingratidão. Claro que existem muitas exceções, principalmente quando lemos as Escrituras. Nelas, encontramos diversos casos que nos servem de exemplo, quando observamos pessoas que tornaram-se adoradoras, porque souberam ser gratas ao Senhor.

  1. RECONHECENDO A NOSSA CURA  

Na história dos dez leprosos, registrada no Evangelho de Lucas, vemos que aqueles homens procuraram Jesus, buscando a cura da lepra que os atormentava. Todos eles foram curados. Entretanto, só um, dos que ficaram livres daquela enfermidade, voltaram para agradecer ao Mestre: “E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a Deus em alta voz e lançou-se aos seus pés” (vs 15, 16) Ele reconheceu e foi grato pelo favor recebido. O resultado desta gratidão gerou adoração, quando ele se lançou aos pés de Jesus. Só existirá verdadeira adoração quando houver, nos corações, o sentimento de gratidão a Deus pelos seus feitos em nossas vidas, mesmo sem merecermos. Para que isso aconteça, precisamos tomar atitudes que nos levem a mostrarmos para Deus o quanto somos gratos por tudo que nos tem feito. Isso alegrará o Seu coração.

  1. RECONHECENDO OS FEITOS DE DEUS  

Muitos buscam a Deus somente nos momentos de grandes necessidades, porém, depois que alcançam o favor do Senhor em seu benefício, esquecem de agradecer-lhe. A Palavra de Deus nos mostra que devemos ser gratos pelo favor recebido. Isso foi o que Davi fez e orientou o povo também a fazer quando trouxe a Arca da Aliança de volta a tenda: “lembrai-vos das suas maravilhas que tem feito, dos seus prodígios, e dos juízos da sua boca” (ICrônicas 16:12). Em outro texto, encontramos um povo que retornava do cativeiro babilônico dizendo: “Grandes coisas fez o senhor por nós e por isso estamos alegres” (Sl.126:3). Em ambos os casos, percebemos a manifestação de gratidão do povo ao reconhecer os feitos de Deus e, por isso, puderam louvar e adorar ao Senhor. Muitos não valorizam as suas conquistas, porque são ingratos para com Deus. Acham que são suficientemente capazes e, por isso, dispensam o cuidado de Deus em seu favor, pois acham que as suas conquistas acontecem pelo seu próprio esforço. Isso fere o coração do Senhor.

 

CONCLUSÃO

Portanto, não esqueçamos o cuidado de Deus em nosso favor, “porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera.” (Isaías 64:4). Lembremo-nos, também, do que nos diz o Senhor a respeito do Seu cuidado para conosco: “porque eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: não temas, porque eu te ajudo.” (Isaías 41:13).

Publicado em Células

Programações

Blog do MiR PBS