MiR PBS - Artigos
Terça, 25 Junho 2019 08:23

Crescendo em Tudo

 Texto: “Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios 4.15).


 Introdução:

 Recebemos uma ordem do Pai através do Apóstolo Paulo: “Cresçamos em tudo naquele que é a cabeça”. Em nenhum lugar da Palavra de Deus está escrito que devemos parar. Isto significa que enquanto estivermos aqui na terra precisamos continuar buscando o conhecimento do Senhor.

 

 Vejamos como deve ser esse crescimento:


 1 – Crescer na graça e no conhecimento
“Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno” (2 Pedro 3.18)
O crescimento na graça e conhecimento traz firmeza para suportar os desafios e vencê-los sem decair na fé – “Vós, pois, amados, prevenidos como estais de antemão, acautelai-vos; não suceda que, arrastados pelo erro desses insubordinados, descaiais da vossa própria firmeza” (2 Pedro 3.17).


 2 – Crescer em amor
“E também faço esta oração: que o vosso amor aumente mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção, para aprovardes as coisas excelentes e serdes sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios do fruto de justiça, o qual é mediante Jesus Cristo, para a glória e louvor de Deus”  (Fl 1:9-11)
O crescimento no amor traz: conhecimento, percepção, excelência, sinceridade, liberdade, fruto de justiça.
Veja o que diz 1 Tessalonicenses 3.12: “e o Senhor vos faça crescer e aumentar no amor uns para com os outros e para com todos, como também nós para convosco”.


 3 – Crescer na intimidade com o Senhor
“Crescia Samuel, e o Senhor era com ele, e nenhuma de todas as suas palavras deixou cair em terra” (1 Samuel 3.19).
Samuel crescia não somente em estatura, mas também no conhecimento do Senhor, por isto, O Senhor era com ele, tornando-se o sucessor do sacerdote Eli.
A falta de intimidade com Deus traz destruição – “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento” (Oséias 4.6a)

 

 Conclusão:

“Um bom cristão não é como o sol de Ezequias, que recuou, nem como o de Josué, que permaneceu imóvel, mas como o que está sempre avançando em santidade e elevando-se no crescimento de Deus” (Thomas Watson).

Publicado em Células
Segunda, 17 Junho 2019 09:18

Arrependei-vos e Convertei-vos

Texto:   Atos 3:19 

INTRODUÇÃO

“Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para que sejam apagados os vossos pecados e venham assim os tempos do refrigério pela presença do Senhor”.

Muitas pessoas pensam que a palavra arrependimento significa “voltar a andar na linha” ou “tomar vergonha”, ou sentir profundo remorso.  Arrependimento é algo que o Espírito Santo coloca em nós e nos leva a sentir a dor de ter ferido o coração de Deus. É uma tristeza que se transforma em alegria quando recebemos o perdão do Senhor: “Porque a tristeza segundo Deus opera arrependimento para a salvação, da qual ninguém se arrepende, mas a tristeza do mundo produz morte” (2 Corintíos 7:10).

1.   ARREPENDIMENTO NÃO É REMORSO

Arrependimento é uma atitude que nos leva a receber de Deus o perdão. É o escape que Deus nos dá para que os nossos pecados sejam perdoados e, assim, retornemos a Ele. O arrependimento é um presente de Deus (Romanos 2.4). Quando não há arrependimento de pecados, o resultado será uma vida fora da Sua Presença.

Há uma grande diferença entre arrependimento e remorso. No remorso a pessoa fica triste, abatida, mas pode repetir o mesmo erro. Porém o arrependimento leva o homem a uma mudança de rumo e atitudes. O remorso traz uma profunda tristeza na alma e pode conduzir à morte. Mas o arrependimento nos leva à vida. Enquanto o remorso nos prende ao passado por erros ou atitudes erradas, o arrependimento nos liberta do passado e nos leva a uma mudança de vida no presente.

2.  ARREPENDIMENTO É UMA DECISÃO

Arrependimento é a decisão de não cometer novamente o pecado confessado. É chorar sinceramente diante de Deus por ter ferido Seu coração. Então o Espírito Santo se move em nós, fazendo-nos enxergar o mal que causamos à santidade de Deus, pois é Ele, o Espírito Santo, que nos convence “do pecado, e da justiça, e do juízo”.  (João 16.8). O arrependimento precisa ser vivido profundamente, pois os benefícios do perdão divino só virão no momento em que vivermos o genuíno e verdadeiro arrependimento, o qual traz mudança de opinião e de atitude a respeito do pecado que, sendo consumado, leva o homem à morte (Tiago 1.15).

CONCLUSÃO

“O tempo está cumprido e o Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no evangelho” (Marcos 1:15). Essa foi a primeira mensagem de Jesus ao iniciar o Seu ministério na terra. Depois que se comete um pecado, a única coisa que temos que fazer é nos arrepender e pedir perdão. Que do nosso coração brote o verdadeiro arrependimento que nos levará a sermos melhores, a cada dia, na presença de Deus.

Publicado em Células
Segunda, 10 Junho 2019 10:50

Desembaraçados do Pecado

Texto:  Hebreus 12:1-2 

INTRODUÇÃO:

Jesus é o nosso referencial. Ele veio ao mundo e viveu, como homem nesta terra, com as mesmas necessidades que nós, porém, soube vencer todas as tentações (Hebreus 4:15). A Palavra de Deus nos ensina que ser tentado não é pecado, mas o pecado nasce como uma consequência de uma rendição à tentação. “Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” (Tiago 1:14-15).

1.  O QUE É PECADO?

Pecado é todo ato que contraria a Palavra de Deus, onde encontramos os Seus mandamentos.  A consequência do pecado é a morte (Rm 6:23). Aquele que transgride uma lei humana torna-se réu de sentença apropriada. O juiz é obrigado a cumprir a lei, imputando a penalidade cabível. Se a justiça dos homens exige punição, quanto mais a justiça de Deus que é perfeita! Todos podem pecar por pensamentos, palavra, ações ou omissão, mas está escrito na Bíblia que devemos deixar “todo embaraço e o pecado que de perto nos rodeia”. Isto é, resistir às tentações e às armadilhas do diabo que anda ao nosso derredor “buscando a quem possa tragar” (1Pedro 5:8). Só Jesus nos fortalece para vencermos as tentações e andarmos em santidade. Deus pede que sejamos santos, porque deseja nos ver com vida. Santo não é aquele que nunca peca, mas aquele que se afasta do pecado e olha para Jesus que é o Caminho, a Verdade e a vida.

2.  ARREPENDIMENTO E CONFISSÃO

“Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro.” (Isaías 43:25).

Deus apaga nossos pecados mediante nosso arrependimento (Atos. 3:19). Arrependimento é sentir dor profunda por haver ofendido a Deus com o pecado. Mas Deus é tão maravilhoso que, mesmo ofendido, é capaz de nos perdoar e esquecer completamente o nosso pecado. Ele não se esquece de nós, mas dos nossos pecados sim, desde que haja confissão e arrependimento. Assim, o pecado, quando perdoado, torna-se inexistente na memória de Deus. Aleluia! “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.” (Pv.28:13). A misericórdia de Deus consiste em um recomeço. Quantas vezes na vida o homem tem a oportunidade de recomeçar! Mas com Deus sempre haverá essa chance e deve ser aproveitada. Através de Jesus Cristo, o homem, que está preso em seus delitos e pecados, tem a oportunidade de conhecer um futuro com Deus, se tornando uma nova criatura. As coisas velhas se passam e tudo se faz novo. (2Co 5:17). Porém, é preciso deixar a vida velha para receber a nova vida de Deus – a Vida Eterna.

CONCLUSÃO

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. (1João1:9).

Publicado em Células

Texto:  Isaías 43:18-19 “Não vos lembreis das coisas passadas, nem considerai as antigas. Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura não a percebais? Eis que porei um caminho no deserto e rios, no ermo.”

INTRODUÇÃO

O maior milagre de Jesus não foi o da cura de um cego, de um paralítico, de um surdo-mudo, ou mesmo da ressurreição de mortos. É certo que todos esses milagres impactaram o mundo e até hoje continuam sendo fatos que glorificam o nome do Senhor. Um paralítico foi curado, por Jesus, da sua debilidade física, mas poderia continuar sendo infeliz se, dentro dele, não processasse o maior milagre: a cura interior, a libertação e a transformação da sua vida (Lucas 5:17-26). O milagre é o que acontece dentro de nós, no lugar secreto da nossa alma, o milagre da salvação e da presença do Espírito Santo.

Diante disto:

1.  ANDANDO EM NOVIDADE DE VIDA

Para que o milagre aconteça em nossa vida, no nosso interior, é preciso que sejamos concebidos por Deus que, “segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1Pedro 1:3).

Ser concebido por Deus consiste em andarmos com Ele, fazendo a Sua vontade e vivendo a Sua Palavra, deixando as coisas do passado que tanto prejudicaram a nossa vida e o nosso relacionamento com o Pai. Não pudemos mudar o nosso passado, mas o passado pode nos mudar, se ele continuar influenciando o nosso presente. O nosso passado não deve determinar o nosso futuro. Um passado não resolvido com Deus pode impedir o Seu operar no processo da concepção de uma nova vida abundante“De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo da morte, para que, como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida” (Rm 6:4).

2.  DESAPEGANDO DO PASSADO

Não devemos ficar presos ao nosso passado. Todos nós praticamos atos no passado que, provavelmente, gostaríamos de mudá-los. Experiências que marcaram a nossa existência com dor e lágrimas e que, como consequência, produziram feridas na nossa alma. As feridas não curadas nos impedem de viver o hoje que Deus preparou para cada um de nós. Ele estabeleceu leis e princípios que regem a nossa vida. A obediência a essas leis e princípios nos leva a viver as novidades de Deus no presente. Deus não está interessado em nos condenar, mas sim em nos levar a lugares altos. Mas, pode ser que não estejamos promovendo a ida a esses lugares. Ele só mudará o curso da nossa vida se for convidado a fazê-lo. Deus tem um plano maravilhoso para nós e deseja realiza-lo, mas é necessário buscar, conhecer e querer viver esse plano.

 

CONCLUSÃO

Nosso passado já foi cravado na Cruz quando dele houve arrependimento e confissão. Não importa mais os pecados que o nosso passado produziu, eles já foram levados por Jesus à Cruz do Calvário. Todo o peso do nosso pecado foi transferido para a Cruz. Demos, então, glória a Deus por isso, pois, “se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (2Co 5:17). 

Publicado em Células

Programações

Blog do MiR PBS