Pr Orimar Carneiro

Pr Orimar Carneiro

Pastor no MiR PBS

MiR Parauapebas

Texto:  MATEUS 6:9-10 

INTRODUÇÃO

A oração que nos foi ensinada por Jesus, “venha o teu Reino”, está relacionada à vontade de Deus em estarmos rendidos e submissos ao Seu senhorio. Onde quer que Deus esteja sendo louvado e adorado, em espírito e em verdade, por vidas e corações onde o Espírito Santo habita, aí está o Reino de Deus. O homem precisa entregar completamente os seus caminhos à Soberania do Senhor. Quem governa a sua vida? Quem está no trono? A resposta correta é: Deus é quem dirige a minha vida.

 

1.  VIVENDO O REINO DE DEUS

O Reino de Deus está no nosso presente. Devemos vivê-lo de modo que possamos também vivê-lo no futuro. No presente, o Reino de Deus se manifesta onde Ele está sendo adorado e seguido pelos corações onde Ele reina. No futuro, o Reino virá de modo completo e visível ao mundo quando Deus vencer o último inimigo – a morte. Porém, Jesus nos ensina que os valores do Seu Reino devem ser a nossa prioridade. Até que ponto nós estamos comprometidos e apegados aos valores do Reino de Deus? Vejamos o que diz a Bíblia a esse respeito: “Porque o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. Porque quem nisto serve a Cristo agradável é a Deus e aceito aos homens” (Rm14:17-18). Nesse texto o apóstolo Paulo cita três características dos valores que norteiam o Reino de Deus, ou seja, justiça, paz e alegria.

2.  DEUS ACIMA DE TUDO

A Bíblia nos mostra que Deus é Rei Soberano sobre todas as coisas. O Seu Reino é eterno, pois sempre existiu e sempre existirá, nunca terá fim. Quando Jesus disse venha o teu Reino” (vs), Ele estava se submetendo à vontade de Deus na Sua vida e, ao mesmo tempo, nos dando o exemplo de submissão e reconhecimento da Autoridade de Deus como nosso Rei. Quando oramos, como Jesus nos ensinou: “venha o Teu Reino”, estamos orando para que este mundo seja transformado e que Deus seja glorificado e exaltado como Rei Eterno.


CONCLUSÃO

Como disse Jesus: “O Reino de Deus não vem com visível aparência. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Lá está! Porque o Reino de Deus está dentro vós” (Lc 17:20-21-ARA). O Reino de Deus manifestar-se-á na sua totalidade quando Jesus voltar para buscar a Sua Igreja e todos aqueles que o aceitaram como Senhor e Salvador!

Marcado sob

Texto:   Mateus 5:3 

INTRODUÇÃO

Jesus ensinou aos discípulos sobre as bem-aventuranças. A primeira enunciada foi: “Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus” (Mateus 5:3). Algumas versões bíblicas registram “humildes de espírito” em lugar de ‘”pobres de espírito”. Ser humilde de espírito é ser uma pessoa que se esvazia de si mesmo. A palavra esvaziar significa ‘tornar vazio, desocupar. Isso quer dizer que, para sermos cheios da Presença e da vida de Deus, precisamos desocupar nossa casa espiritual, ou seja, o nosso interior, o nosso coração, para dar lugar ao Espírito de Deus nos encher e operar nas nossas vidas. 

1. ESVAZIANDO-SE DE Si MESMO 

Somos como vasos e há vaso de todo tipo. Existem pessoas que andam cheias de si mesmas, isto é, do seu ego, da sua vontade própria, de projetos pessoais, independentes de Deus, cheias de orgulho, de vaidade, de ira, rancor, críticas, maledicências, murmuração. Estes são vistos por Deus como vasos para desonra (2Timóteo 2:20).

São os vasos cheios de rebeldia, soberba, língua violenta, mentira, adultério, engano, distantes de Deus. Ser vazio de si mesmo requer negar a si mesmo, tomando sobre seu ombro a sua cruz e seguir a Jesus Cristo sob a Sua Direção. A pessoa que verdadeiramente é vazia de si mesma não tem mais a vontade própria predominante, mas a Vontade Soberana de Deus é a prioridade absoluta em seu coração. Continua, como outra pessoa qualquer a ter sonhos, desejos e vontade, porém, como depende do Espírito Santo, submete-os ao Senhorio de Jesus Cristo: “É importante que Ele cresça e que eu diminua” (Jo 3.30) e “Já estou crucificado com Cristo e não mais eu, mas Cristo vive em mim” (Gl 2.20).

2. ENCHENDO-SE DO ESPÍRITO SANTO

Para sermos cheios do Espírito Santo é preciso nos esvaziar de nós mesmos, a fim de dar lugar para Ele operar em nossas vidas e, dessa forma, sermos dirigidos e abençoados por Ele e sermos cheio do Espírito Santo, que significa ser cheio do Amor, uma vez que Deus é Amor. E o fruto de Espírito (Gl 5.22) é o amor que se expressa através de cada atitude, de cada gesto de cada palavra daquele que está cheio do Espírito de Deus. Nós, como vasos cheios de azeite, isto é do Espírito Santo (1Sm 10.1), de misericórdia (Rm 9.23)para honra (Rm 9.21) preciosos (Lm 4:2) e escolhidos (At 9.15), precisamos nos encher diariamente do Espírito Santo e assim não deixaremos espaços para entrarem os sentimentos e os comportamentos negativos que tanto desagradam a Deus, nos afasta d’Ele e servem de mau testemunho para os que ainda não conhecem Jesus.


CONCLUSÃO

Precisamos tomar a decisão de, todos os dias, confessar os nossos pecados, cravando-os na cruz, bem como todos os aspectos negativos do nosso interior que tentam persistir em alguma área da nossa vida e, esvaziando-nos de nós mesmos, clamar a Deus: “Enche-nos, Senhor, do Teu Santo Espírito!” Amém!

Marcado sob

Texto:   Jó 42:10-11

INTRODUÇÃO

Todos que recebem o milagre da cura, não só a física como a cura da alma, a cura interior, verdadeiramente recebem um nível de restituição, pois Deus nos criou para sermos saudáveis e livres de toda ferida de alma. A primeira vez que o verbo restituir aparece na Bíblia é em Gênesis 20:7, quando Deus fala na restituição familiar. Restituição não é somente agregar bens, isso é prosperidade. Restituição vai além disso, é a devolução do que foi perdido.

1.  RESTITUIÇÃO: UM ATO DE JUSTIÇA

“Deveras orarás a Deus, o qual se agradará dele e verá a sua face com júbilo e restituirá ao homem a sua justiça” (Jó 33:26).

Jó foi um homem que mais tinha razão para falar de restituição. Tem pessoas que até tentam maximizar o seu problema dizendo que sofrem mais do que Jó sofreu. Que Deus nos livre de um sofrimento como o dele!

A Bíblia diz que Jó foi restituído por Deus, em tudo, com justiça. Muitos querem ser restituídos, mas não atentam para o fato de que uma restituição é respaldada pela justiça. A restituição de Deus vem, mas com justiça, pois Ele é justo e fiel. Primeiro, Ele remove a injustiça para depois exercer a Sua Justiça.

2.  RESTITUIÇÃO A UM HOMEM JUSTO 

“E disse o Senhor a Satanás: observaste tu o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal” (Jó 1:7)

Jó era um homem justo, apesar das suas dificuldades e limitações como todo ser humano, e, diante da sua fidelidade e retidão, foi restituído por Deus de uma forma “extravagante”, depois de ter perdido todos os seus bens e filhos.

Restituição é a devolução de algo que foi perdido e cuja esperança já não mais existe e, então, não se crê que ainda é possível de acontecer. Deus quer nos restituir o inimaginável, pois Ele é Deus de restituição. Existem situações em nossa vida que, na mente e no coração, sentimos que não há mais esperança para uma recuperação, mas o Senhor nos dará o escape. Ele moverá o sobrenatural em cada caso específico e nos dará plena restituição daquilo que perdemos ou que nos foi roubado. Porém, precisamos entender que a restituição só virá quando conhecermos os caminhos da justiça de Deus, pois, muitas vezes, queremos ser restituídos fazendo tudo de forma contrária ao que nos ensina a Palavra de Deus.  No Reino dos Céus as conquistas acontecem mediante as lutas que travamos e que Deus permite serem colocadas em nossa vida. Porém, Ele mesmo nos capacita para vencê-las.

CONCLUSÃO

Deus sempre nos quer ver felizes e vivendo a vida abundante que Jesus veio nos trazer. Logo, aqueles que estão sendo restituídos precisam saber que, por trás de cada restituição, existe um alto preço que foi pago por Jesus na Cruz do Calvário.

Marcado sob

Programações

Blog do MiR PBS