Pr Orimar Carneiro

Pr Orimar Carneiro

Pastor no MiR PBS

MiR Parauapebas

Texto: 2Co 3:3-6

INTRODUÇÃO

O Senhor nos capacita para sermos ministros dessa nova aliança. Ser ministro é ser servo, e a nova aliança é a do amor e da compaixão. Toda aliança que Deus fez com o homem revelou Seu amor e compaixão, culminando na maior aliança: a eterna aliança feita através do Sangue de Jesus derramado na Cruz do Calvário. Com Jesus aprendemos a viver esta nova aliança, pois Ele é o nosso maior exemplo de amor e compaixão.

Faz parte desta nova aliança:

  1. PROVISÃO PARA AS NECESSIDADES MATERIAIS (MT 15:32)

Jesus teve compaixão da multidão que estava sem comer a três dias e providenciou alimentação para suprir sua necessidade física. “E todos comeram e se saciaram, e levantaram do que sobejou, sete cestos cheios de pedaços de pão” (Mt 15:37).

  1. PROVISÃO PARA AS NECESSIDADES FÍSICAS (MC 1:40-42)

Jesus ficou profundamente compadecido ao ver um homem doente de lepra e o curou – “E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo.” e aquele homem foi imediatamente curado (vs 41).

  1. PRIVISÃO PARA AS NECESSIDADES ESPIRITUAIS (MC 6:34)

Ao olhar para a multidão, Jesus se compadeceu dela, pois a viu “como ovelhas que não têm pastor, e começou a ensinar-lhes muitas coisas.” (Mc 6:33). Eles não tinham alguém que pudesse mostrar-lhes o caminho. Por essa razão, Jesus compadeceu-se deles e passou a ensinar-lhes as coisas referentes ao Reino de Deus.

 

CONCLUSÃO

As necessidades espirituais devem ser supridas com a Palavra de Deus. Apresentamos Jesus como a única Esperança para uma vida abundante agora, e uma vida eterna com Deus. Existem muitas oportunidades de compartilhar a nossa fé com aqueles que ainda não têm conhecimento da vontade de Deus. Assim, como servos de Deus, estaremos ajudando as pessoas nas suas necessidades espirituais. O adorno da compaixão é muito importante para nossa beleza espiritual. Vamos lembrar que um dos fatores que o Senhor usará no julgamento final será a nossa compaixão para com os necessitados.

 

Marcado sob

Texto: 2Co 3:3-6

INTRODUÇÃO

O Senhor nos capacita para sermos ministros dessa nova aliança. Ser ministro é ser servo, e a nova aliança é a do amor e da compaixão. Toda aliança que Deus fez com o homem revelou Seu amor e compaixão, culminando na maior aliança: a eterna aliança feita através do Sangue de Jesus derramado na Cruz do Calvário. Com Jesus aprendemos a viver esta nova aliança, pois Ele é o nosso maior exemplo de amor e compaixão.

Faz parte desta nova aliança:

  1. PROVISÃO PARA AS NECESSIDADES MATERIAIS (MT 15:32)

Jesus teve compaixão da multidão que estava sem comer a três dias e providenciou alimentação para suprir sua necessidade física. “E todos comeram e se saciaram, e levantaram do que sobejou, sete cestos cheios de pedaços de pão” (Mt 15:37).

  1. PROVISÃO PARA AS NECESSIDADES FÍSICAS (MC 1:40-42)

Jesus ficou profundamente compadecido ao ver um homem doente de lepra e o curou – “E Jesus, movido de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo.” e aquele homem foi imediatamente curado (vs 41).

  1. PRIVISÃO PARA AS NECESSIDADES ESPIRITUAIS (MC 6:34)

Ao olhar para a multidão, Jesus se compadeceu dela, pois a viu “como ovelhas que não têm pastor, e começou a ensinar-lhes muitas coisas.” (Mc 6:33). Eles não tinham alguém que pudesse mostrar-lhes o caminho. Por essa razão, Jesus compadeceu-se deles e passou a ensinar-lhes as coisas referentes ao Reino de Deus.

 

CONCLUSÃO

As necessidades espirituais devem ser supridas com a Palavra de Deus. Apresentamos Jesus como a única Esperança para uma vida abundante agora, e uma vida eterna com Deus. Existem muitas oportunidades de compartilhar a nossa fé com aqueles que ainda não têm conhecimento da vontade de Deus. Assim, como servos de Deus, estaremos ajudando as pessoas nas suas necessidades espirituais. O adorno da compaixão é muito importante para nossa beleza espiritual. Vamos lembrar que um dos fatores que o Senhor usará no julgamento final será a nossa compaixão para com os necessitados.

 

Marcado sob

Texto: 1 Samuel 13.14

INTRODUÇÃO

O coração é a sede dos sentimentos, das emoções e da consciência. É o centro do intelecto, das emoções e da vontade humana. Agradar significa ser agradável, deleitar, contentar, satisfazer. E porque agradar a Deus? Porque Ele é o nosso Pai, nosso Criador, e também de todo o Universo. Vejamos algumas características de um coração que agrada a Deus:

1. UM CORAÇÃO INTEIRO (2 Cr 25.2-3)

A palavra inteiro vem do latim “integru” e significa em toda a sua extensão, todo, completo, na sua totalidade? Uma pessoa que tem um coração inteiro para com Deus é aquela que lhe entregou verdadeiramente o seu coração, porque o ama sobre todas as coisas e busca em primeiro lugar o Seu Reino (Mt 22.37-40; Mt 6.33). Não mede esforços para agradar ao Senhor, agradando-O em tudo, e trabalhando para o crescimento do Seu Reino. No texto citado, lemos que Amazias, ao ter o seu reino confirmado, “fez o que era reto aos olhos de Deus, porém não com coração inteiro”, porque ele tinha no seu coração o sentimento de vingança, e matou os seus servos que feriram seu pai.

2. UM CORAÇÃO PERFEITO (1 Reis 8.61)

A palavra “perfeito” vem do latim “perfectu” e significa, incomparável, único, sem par, ótimo, excelente, irrepreensível. Ter o coração perfeito para quê? Para andar nos estatutos de Deus e guardar os Seus mandamentos. Todos nós, como discípulos de Jesus, devemos examinar os nossos corações, pois a primeira condição para viver conforme a vontade de Deus é ter um coração perfeito. Devemos orar para termos nossos corações perfeitos a fim de que agrademos a Deus, sendo cumpridores dos seus mandamentos, e não ficarmos orando para Deus agradar o nosso coração.

3. UM CORAÇÃO SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS (1 Sm 13.14)

O texto citado se refere a Saul que foi escolhido por Deus para reinar sobre o povo. Entretanto, não guardou o mandamento que Deus lhe ordenou, ao oferecer holocausto e ofertas pacíficas, quando só cabia ao sacerdote essa função. Por essa razão, o profeta Samuel chegou a Saul e lhe declarou que Deus já tinha buscado um homem segundo o seu coração para liderar sobre o seu povo: Davi, escolhido para ocupar o lugar de Saul. Há pessoas de coração inconstantes, pois não fizeram uma entrega absoluta de seus corações a Deus. Começam a servi-LO e quando veem as provas não ficam firmes, mas se deixam abalar e desistem da obra de Deus. (Ef 6.10-18). Entretanto, Deus cumpre o Seu propósito. E Quando alguém de coração imperfeito não quer fazer a Sua vontade, Ele levanta outro, mas a Sua obra não para.

CONCLUSÃO

Oremos a Deus todos os dias para que Ele transforme o nosso coração num coração integro, perfeito e que agrade ao Seu coração, isto é, um coração segundo o seu coração.  

Marcado sob

Programações

Blog do MiR PBS