Pr Orimar Carneiro

Pr Orimar Carneiro

Pastor no MiR PBS

MiR Parauapebas

Texto: João 15.16

INTRODUÇÃO

A palavra fruto, do lat. ‘fructu’ significa órgão produzido pelos vegetais floríficos que conduz à semente.  É o produto da terra para sustento e benefício do homem. O fruto é o resultado, a consequência. O fruto é a parte mais esperada pelos agricultores, e quando chega a época da colheita é tempo de obter a recompensa dos esforços empregados. Quando a Bíblia fala de fruto se refere às virtudes espirituais (Gl 5.22) e também ao servir a Deus trabalhando para trazer outras pessoas para Cristo (Jo 4.36; Jo 12.24). Qual é o fruto que permanece? Como podemos identificá-lo entre tantos outros? Vejamos as características do fruto que permanece:

 

1. É O FRUTO QUE PERSEVERA

Jesus nos diz:” Estai em mim e eu em vós…” (J015.4). Quando uma pessoa crê em Jesus e recebe o Seu perdão tem a vida eterna e o poder de estar ou permanecer n’Ele. É preciso que se mantenha ligada a Jesus, pois o ramo só tem vida, enquanto a vida da videira flui para o ramo. O crente tem a vida de Deus somente enquanto a vida d’Ele flui nele pela sua permanência em Cristo. Para permanecermos em Jesus Cristo, precisamos: Conservar a Palavra de Deus continuamente em nosso coração e tê-la como guia de nossas ações. Ter comunhão constante com Jesus Cristo para que obtenhamos d’Ele forças e graça. Obedecer aos mandamentos e permanecer no Seu amor e amar uns aos outros. Manter a nossa vida limpa, mediante a Palavra, resistindo a todo pecado e dependendo da direção do Espírito Santo. Que cada um de nós sejamos o fruto que persevera. O fruto que não cai, mas o fruto que permanece ligado a Jesus.

 

2. É O FRUTO MADURO

O fruto quando amadurece contém sementes de boa qualidade para reproduzir a planta e garantir a sua continuidade. É chamado fruto deiscente, (o fruto que alcança a maturidade e se abre deixando escapar as sementes). A única forma de uma lavoura reproduzir é através das sementes de volta à terra para que possam germinar, crescer e dar outros frutos que, por sua vez, darão outras sementes. Assim se processa o ciclo da reprodução. Assim também nós, como discípulos de Jesus, como frutos maduros que tendo alcançado a maturidade espiritual, podemos lançar a semente, a Palavra de Deus, em outras terras, isto é, em outros corações, para que ela germine e produza frutos que amadureçam e dêem outras sementes e, assim, nos tornamos instrumentos de Deus para dar prosseguimento à obra que Jesus começou e nos entregou para continuarmos ( Mt 28.19-20).

CONCLUSÃO

Os discípulos são os frutos resultantes do trabalho daqueles servos que se dedicam à obra de Deus. O fruto que persevera é o fruto que se mantém ligado à Videira Verdadeira que é Jesus, permanecendo no Seu amor. Jesus Cristo nos diz: “Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor” (J0 15.9) Para permanecer nos amor de Jesus é necessário guardar os Seus mandamentos da mesma forma que Ele guarda os mandamentos de Seu Pai e permanece no Seu amor (Jo 15.10). O fruto que permanece é o fruto que se mantém ligado a Jesus e permanece no Seu amor, dando continuidade à Sua obra fazendo discípulos para Ele.

Marcado sob

Texto: Tiago 1.21 

INTRODUÇÃO

A nossa alma é complexa e tendenciosa. Ela sempre está inclinada a satisfazer os desejos da carne. Por isso, devemos protegê-la com o sangue de Jesus. Uma alma lavada e remida pelo sangue do Cordeiro sabe discernir entre o bem e o mal, e optar pelo bem, encontrando escape em meio às tentações, e rejeitando toda espécie de imundícia que contamina o corpo. Para que isso aconteça, é necessário que os princípios da Palavra de Deus sejam implantados em você e, dessa forma, você alcance sua libertação. O texto básico desta ministração nos mostra dois princípios para temos uma alma livre e restaurada:

1. DESPOJAR-SE DE TODA IMUNDÍCIA E DE TODO VESTÍGIO DO MAL

“Porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação. Portanto, quem despreza isto não despreza ao homem, mas sim a Deus, que nos deu também o Espírito Santo.” (1Ts 4.7). Esta é uma luta constante que todos nós travamos no nosso cotidiano. Todos os dias passamos por muitos testes e, cada um, em diferentes níveis. O maior desses testes não é o que enfrentamos com o nosso próximo, mas com nós mesmos. É ter a consciência de que tudo que falamos é verdadeiro. É olhar para dentro de nós e ver se estamos sendo exatamente o que demonstramos ser. É não estar revestido por uma “capa” de santidade, mas ter um coração despojado de toda imundícia e de todo mal. Pode acontecer passar por sua mente pensamentos estranhos, trazendo ao coração sentimentos que nada têm a ver com os princípios da Palavra de Deus. Muitas vezes, você faz coisas que não gostaria de fazer. Porém, a prova de que você rejeita todo vestígio de imundícia e de mal é quando você se flagra vivendo momentos assim e os vence, porque decidiu optar pelos princípios da Palavra. 

2. RECEBER COM MANSIDÃO A PALAVRA DE DEUS

“…recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas.” (Tg 1.21b). Receber a Palavra com mansidão significa recebê-la sem resistência e sem restrições. O Espírito Santo nos instrui a receber com mansidão a Palavra de Deus que é ministrada ao nosso coração. Ele sabe que a sua alma poderá reagir contra a Palavra toda vez que ela confrontar o seu pecado. Não devemos ser contra o que nos confronta. Não tape os ouvidos ao que Deus está falando e corrigindo. Seja obediente e sábio, pois, quando confiamos os nossos caminhos ao Senhor, Ele nos leva à vida. A Palavra do Senhor é poderosa para salvar. A Sua Palavra é Espírito e Vida (Jo 6.63). Livre-se do que lhe afasta de Deus. O segredo para que a Palavra tenha resultado em sua vida está na sua decisão de permitir que ela faça morada no seu coração, e que faça parte de todas as suas atividades. 

CONCLUSÃO

A Bíblia diz que “se, pois, o Filho do vos libertar, verdadeiramente sereis livres.” (Jo 8.36). O Espírito Santo lhe ajudará a rejeitar “toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal.” Que o Senhor te abençoe e te guarde, em nome de Jesus. Amém!

Marcado sob

Texto:  Tiago 4:7

INTRODUÇÃO

“Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”

Não conseguiremos resistir ao diabo com as nossas próprias forças. Se agirmos dessa maneira sairemos derrotado desse combate. O diabo não fugirá de nós se não estivermos nos sujeitando a Deus e à Sua Palavra. Para que tenhamos condições de resistir ao diabo, precisamos, antes de tudo, estarmos em santidade e comunhão com Deus.

1.   SUBMISSÃO E AUTORIDADE

Quando somos submissos a Deus e procuramos viver retamente dentro dos ensinos contidos em Sua Palavra, temos autoridade para resistir ao diabo e suas tentações. Quanto mais conhecermos a Deus, fazendo da Sua Palavra o nosso estilo de vida, mais protegidos e guardados por Ele estaremos, e então saberemos discernir o que é de Deus e o que não é. A obediência à Palavra de Deus nos dá lucidez quanto ao agir do diabo com suas propostas que nos tenta afastar do caminho da Verdade. Aqueles que são submissos a Deus não são envergonhados ou derrotados, mas serão sempre mais que vencedores. Sujeitar-se ao nosso Pai Celestial é deixá-lo ser o nosso Pastor, assim como fez Davi (Sl 23:1), o qual era suprido e guiado por Deus. Quando somos obedientes a Deus, nos sujeitando à Sua vontade, nos tornamos um com Ele e então nenhum de nós será vencido pelo inimigo. Quem se submete ao Senhor será exaltado em tudo, mas o rebelde e insubmisso não desfrutará das bênçãos preparadas para aqueles que o amam.

2.   SUBMISSÃO É UM PRINCÍPIO DE DEUS

Ser submisso não é ser explorado ou usado, mas sim estar debaixo de uma missão. Quando Deus escolhe uma pessoa para cumprir um chamado, Ele a reveste de autoridade, e esta fica sujeita à Sua direção e vontade.

Não podemos confundir submissão com escravidão. Submissão é um princípio de Deus, é viver sob a missão que Ele nos deu no Seu Reino, quase sempre, ajudando outros coma sua própria missão. É seguir o que Jesus nos ensinou quando disse: “Ide por todo mundo, pregai o Evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15).

CONCLUSÃO

Se você não tem conseguido vencer as tentações, recorra à Palavra de Deus e encontrará forças para vencer o mal. Sujeitar-se a Deus é render-se à Sua Palavra, fazendo dela a armadura para enfrentar o inimigo.

Marcado sob

MiR PARAUAPEBAS

Programações

Blog do MiR PARAUAPEBAS