Pr Orimar Carneiro

Pr Orimar Carneiro

Pastor no MiR PBS

MiR Parauapebas

Texto: Marcos 5.25-34
Textos complementares – Hb 11.3; Pv 6.2; Tg 2.17-18; Mc 6.1-6
Introdução: Hoje vamos compartilhar sobre a importância de se ter uma visão de fé. Observaremos os passos dados pela mulher hemorrágica rumo à plena libertação do seu mal.

1 – Alimentar um sonho no coração – O primeiro passo que aquela mulher deu para a realização de um milagre, foi alimentar um sonho em seu coração. A visão do coração era clara, específica. Ela se via tão somente estendendo a mão, tocando nas vestes de Jesus, e saindo daquela experiência totalmente curada. Conforme o que viu em seu coração, assim aconteceu.
Precisamos compreender a importância de se ter um sonho claro e específico no íntimo. Todas as coisas acontecem por causa de um sonho, de uma visão. O próprio universo foi criado a partir de um quadro nítido visualizado por Deus. Conforme Sua visão no reino espiritual, assim se deu no reino da matéria (Hb 11.3).

2 – Agir conforme a visão do coração – Vemos que a mulher não ficou apenas no sonho interior.
Ela partiu rumo à concretização dos seus ideais. A linguagem dos lábios estava em sintonia com o que ela cria no coração. Suas atitudes também estavam perfeitamente alinhadas com o que havia estabelecido na mente. E a soma de todas essas coisas produziu um resultado excelente: um milagre aconteceu.
Algumas vezes, ouvimos testemunhos de pessoas que tiveram sonhos de Deus no coração, mas que os perderam por causa de uma linguagem inadequada. Crer com o coração, mas confessar a derrota com os lábios é incoerência. Acreditar no íntimo, mas caminhar na direção oposta é insensatez.
A nossa linguagem e as nossas ações devem sempre estar em harmonia com o que Deus diz em Sua Palavra (Pv 6.2; Tg 2.17-18).

3 – Tocar o toque especial da fé – Quando Jesus perguntou: “quem me tocou?”, todos se admiravam devido o grande número de pessoas presentes no local que se empurravam e se tocavam em todo tempo. O mestre, porém, percebeu que aquele toque havia sido diferente daqueles que vinham das pessoas em geral, muitos se aproximavam dele por mera curiosidade. Aquele toque, no entanto, não era comum. Era especial por se tratar de um toque de fé, capaz de provocar a liberação de toda a unção de cura que ela necessitava. Jesus sentiu que dele saíra poder para restaurar alguém, e ficou satisfeito por perceber que naquele lugar havia, pelo menos, uma pessoa de fé.
Ainda hoje muitas pessoas que se aproximam de Jesus, voltam para suas casas do mesmo jeito que vieram: sem cura, sem provisão, sem a bênção. Qual o motivo? Talvez porque lhes esteja faltando o toque especial da fé, que verdadeiramente muda circunstâncias. Ou ainda porque as pessoas não têm conseguido formar uma visão clara do que querem, e por isso não conseguem receber o que não visualizaram.

Conclusão: precisamos alimentar um sonho relacionado ao que já sabemos que Deus quer fazer em nossas vidas. Devemos caminhar em linha com o que cremos no coração, não permitindo que a linguagem negativa ou as atitudes incoerentes venham roubar os projetos de Deus para nós. Necessitamos estender o braço da fé genuína, pura e fervorosa, que certamente liberará todos os recursos benditos que desejamos.

Marcado sob

Texto: Marcos 5.25-34
Textos complementares – Hb 11.3; Pv 6.2; Tg 2.17-18; Mc 6.1-6
Introdução: Hoje vamos compartilhar sobre a importância de se ter uma visão de fé. Observaremos os passos dados pela mulher hemorrágica rumo à plena libertação do seu mal.

1 – Alimentar um sonho no coração – O primeiro passo que aquela mulher deu para a realização de um milagre, foi alimentar um sonho em seu coração. A visão do coração era clara, específica. Ela se via tão somente estendendo a mão, tocando nas vestes de Jesus, e saindo daquela experiência totalmente curada. Conforme o que viu em seu coração, assim aconteceu.
Precisamos compreender a importância de se ter um sonho claro e específico no íntimo. Todas as coisas acontecem por causa de um sonho, de uma visão. O próprio universo foi criado a partir de um quadro nítido visualizado por Deus. Conforme Sua visão no reino espiritual, assim se deu no reino da matéria (Hb 11.3).

2 – Agir conforme a visão do coração – Vemos que a mulher não ficou apenas no sonho interior.
Ela partiu rumo à concretização dos seus ideais. A linguagem dos lábios estava em sintonia com o que ela cria no coração. Suas atitudes também estavam perfeitamente alinhadas com o que havia estabelecido na mente. E a soma de todas essas coisas produziu um resultado excelente: um milagre aconteceu.
Algumas vezes, ouvimos testemunhos de pessoas que tiveram sonhos de Deus no coração, mas que os perderam por causa de uma linguagem inadequada. Crer com o coração, mas confessar a derrota com os lábios é incoerência. Acreditar no íntimo, mas caminhar na direção oposta é insensatez.
A nossa linguagem e as nossas ações devem sempre estar em harmonia com o que Deus diz em Sua Palavra (Pv 6.2; Tg 2.17-18).

3 – Tocar o toque especial da fé – Quando Jesus perguntou: “quem me tocou?”, todos se admiravam devido o grande número de pessoas presentes no local que se empurravam e se tocavam em todo tempo. O mestre, porém, percebeu que aquele toque havia sido diferente daqueles que vinham das pessoas em geral, muitos se aproximavam dele por mera curiosidade. Aquele toque, no entanto, não era comum. Era especial por se tratar de um toque de fé, capaz de provocar a liberação de toda a unção de cura que ela necessitava. Jesus sentiu que dele saíra poder para restaurar alguém, e ficou satisfeito por perceber que naquele lugar havia, pelo menos, uma pessoa de fé.
Ainda hoje muitas pessoas que se aproximam de Jesus, voltam para suas casas do mesmo jeito que vieram: sem cura, sem provisão, sem a bênção. Qual o motivo? Talvez porque lhes esteja faltando o toque especial da fé, que verdadeiramente muda circunstâncias. Ou ainda porque as pessoas não têm conseguido formar uma visão clara do que querem, e por isso não conseguem receber o que não visualizaram.

Conclusão: precisamos alimentar um sonho relacionado ao que já sabemos que Deus quer fazer em nossas vidas. Devemos caminhar em linha com o que cremos no coração, não permitindo que a linguagem negativa ou as atitudes incoerentes venham roubar os projetos de Deus para nós. Necessitamos estender o braço da fé genuína, pura e fervorosa, que certamente liberará todos os recursos benditos que desejamos.

Marcado sob

Texto: Salmo 128


Introdução: No salmo 128 o salmista destaca as áreas da vida que precisam da nossa atenção e prioridade para que possamos desfrutar as bênçãos que o Senhor tem para aqueles que o temem e buscam viver de acordo com a sua santa e soberana vontade.


 1- ANDAR NOS CAMINHOS DO SENHOR - “Bem aventurado aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos!” (v.1).
Para termos uma vida equilibrada, precisamos em primeiro lugar: temer ao Senhor, pois não conseguiremos o equilíbrio se não dependermos d'Ele. A felicidade que procuramos será alcançada através do temor ao Senhor, pois Ele é o verdadeiro manancial de felicidade
O salmista afirma que aquele que teme ao Senhor é feliz (bem-aventurado). Mas não basta temer, respeitar e crer em Deus, mas precisamos também trilhar os Seus caminhos. Muitos tropeçam porque não querem andar nos caminhos traçados por Deus.
Decida hoje temer ao Senhor e andar em Seus caminhos procurando equilibrar a sua vida na obediência à Palavra de Deus, pois, ao priorizar isto você será verdadeiramente bem-aventurado.

 

2- TER UMA FAMÍLIA FELIZ E ABENÇOADA – “Tua esposa, no interior de tua casa, será como a videira frutífera; teus filhos, como rebentos da oliveira, à roda da tua mesa”. (v.3).
O salmista diz que aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos terá uma família feliz e abençoada. A mulher será com uma videira frutífera que produz uvas; que produz vinho; que produz alegria. A felicidade em família depende também da nossa atitude diante da vida.
Os filhos são como as plantas de oliveira que produzem o azeite, símbolo da unção, presença e comunhão do Espírito Santo de Deus. A expressão “à roda da tua mesa” fala da comunhão que deve ser priorizada por aqueles que querem experimentar a felicidade em sua vida.
Não permita que a televisão, a internet, o trabalho exagerado, etc. roubem os momentos de comunhão com a sua família, pois jamais conseguiremos transmitir para a nossa família a comunhão que temos com o Senhor se não desfrutarmos de momentos de comunhão com ela.

 

3- VIVER EM COMUNHÃO COM A IGREJA – “O SENHOR te abençoe desde Sião, para que vejas a prosperidade de Jerusalém durante os dias de tua vida” (v.5).
No Salmo, as cidades de Sião e Jerusalém representam a igreja de Jesus que é formada por famílias que formam a grande família de Deus (“Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus” - Ef 2.19) e, se a nossa família for saudável, a Igreja do Senhor Jesus também será uma família saudável.
Muitos hoje estão correndo atrás das bênçãos esquecendo-se de priorizar os caminhos do Senhor e a sua família. A bênção e a prosperidade só serão alcançadas quando conseguirmos entender que a igreja é também a nossa família e deve ser também priorizada em nossa vida.
Priorize a igreja em sua vida congregando regularmente e participando das atividades e celebrações, pois a igreja foi criada por Jesus para viver em comunhão com Ele, ligada e ajustada como um corpo vivo esperando a sua iminente volta (“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” - Hb 10.25).
 

CONCLUSÃO: "Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor": Temendo e andando com o Senhor (v.1), investindo tempo na sua família (v.3) e equilibrando sua vida pessoal com a sua vida familiar para que a igreja reflita a pessoa do Senhor Jesus na sua vida. Amém.

 

Marcado sob

Programações

Blog do MiR PBS