Pr Orimar Carneiro

Pr Orimar Carneiro

Pastor no MiR PBS

MiR Parauapebas

Texto: “Marcos 4.35-41

INTRODUÇÃO

A Palavra de Deus nos fala que “no mundo tereis aflições”, mas que não podemos perder o ânimo, pois Ele venceu o mundo (João 16.33).  Os problemas e as adversidades da nossa vida vêm de maneira inesperada e todos estão sujeitos a passar por elas, independentemente da posição que cada um ocupa na vida, e de serem cristãos ou não. Contudo, o que difere uma pessoa da outra é a forma como enfrentam as adversidades e os revezes decorrentes das circunstâncias.

  1. ENFRENTADO AS TEMPESTADES.

A sua decisão em enfrentar os problemas, não pode estar sujeita às suas forças físicas e sim à vontade de Deus, que é “boa, perfeita e agradável” (Rm 12.2). A vontade de Deus é que você lute com fé e perseverança, sabendo que Ele é o Deus do impossível, e que jamais lhe deixará só, mas antes lhe dará o escape. As adversidades geralmente nos pegam de surpresa, e causam grandes estragos na nossa vida. Às vezes elas vêm com o propósito de nos derrubar, e nos afastar da presença de Deus, mas quando entendemos que Deus está no comando do nosso “barco”, Ele nos ensina, e nos leva a grandes mudanças.

Quando as adversidades da vida nos atingem, nos levando a enfrentar tempestades, é o momento de escolhermos como reagir: clamar a Deus e lutar, buscando a oportunidade de começar tudo de novo, ou se entregar à desistência, matando sonhos e projetos. Confie sempre em Jesus, Ele tem poder sobre a tempestade. Mc 4:39

  1. CONTINUE NO BARCO.

Em meio às tribulações, muitos não conseguem sobreviver por falta de fé e confiança em Deus. Mas nossa decisão deve ser continuar no barco, sabendo que seremos guiados por aquele que possui autoridade e poder para nos levar a um lugar onde reina a paz e o sucesso.

Para superarmos as tempestades da vida, precisamos fechar as brechas, lançando fora do nosso “barco” as bagagens inúteis e indesejáveis que nos impedem de navegar em águas tranquilas. Se compreendermos isto, os ventos de Deus soprarão sobre nós, e assim poderemos prosseguir em frente até chegarmos com Jesus à “outra banda do mar” (Mc 5.1).

CONCLUSÃO:

Jesus não nos deixará ser vencidos pela tempestade, mas antes nos dará o livramento. Entreguemos a Ele o comando do nosso “barco” e aprendamos a confiar em Deus e na sua infinita misericórdia.

Marcado sob

Texto: “Romanos 5:6-11

INTRODUÇÃO:

O texto básico desta ministração é um convite para conhecermos o Senhor da misericórdia. Ele nos incentiva a irmos em direção ao trono de Deus para recebermos o que há em Seu coração. No coração de Deus, há misericórdia e graça abundante.

  1. O QUE É MISERICÓRDIA E GRAÇA

Misericórdia é não receber o castigo que se merece. Graça é receber a benção que não se merece, é um favor imerecido.

A Bíblia ensina que todos os homens são pecadores e não há um perfeito se quer. Também ensina que o resultado do pecado é a morte. Então, o homem, que é pecador, recebe a misericórdia no sentido de que merece ser punido pelos seus erros, mas Deus lhe oferece perdão. Ele também recebe a graça de Deus, porque não merece ser socorrido, mas o Senhor oferece salvação a qualquer um que a desejar. (Ef. 2:4-5).

Existem pessoas que concebem uma ideia errada de Deus, pois pensam que Ele é castigador, severo e durão. Mas, Ele não é. Ele é, sim, um Deus amável e terno. Esta é a confiança que devemos ter. Mesmo quando estamos errados, podemos confiar no Seu grande coração. Nossos pecados promovem laços e algemas em nossas vidas, e só Deus pode nos libertar. Precisamos ser socorridos e Ele tem poder sobre a morte e o inferno.

  1. O PERDÃO LIBERTA

Muitos são os que estão algemados com a falta do perdão. Quem não perdoa adoece na alma. O coração se torna uma caverna de sentimentos ruins, cheio de escuridão. As lembranças da dor provocada pelas ofensas, traições e rejeição, vão alienando o indivíduo, subtraindo sua capacidade de confiar e amar as pessoas, e só chegando ao arrependimento, confessando a Deus as feridas da alma, perdoando a quem lhe ofendeu e recebendo o perdão de Deus, é que se alcança a cura.

Quem é experimentado em misericórdia consegue exercer misericórdia com o próximo, e o inverso também é verdadeiro. Por isso a Palavra nos convida: “Chegai-vos a Deus e ele se achegará a vós” (Tg 4:8). Assim receberemos Seu perdão, bem como aprendemos a perdoar aos que nos ferem e odeiam. Não é porque se tem dificuldade para perdoar que Deus também seja assim. A confusão ocorre quando queremos assemelhar Deus a nós, quando, em verdade, nós é que temos que nos assemelhar a Ele.

CONCLUSÃO:

Hoje é o dia oportuno para se achegar ao trono da graça. Devemos confiar e ter fé, pois Deus é bom, cheio de amor e misericórdia. Ele deseja derramar sobre nossas vidas misericórdia e graça. Todos nós somos carentes disso, porque todos nós temos falhas. Assim como falhamos, os outros falham também. Porém, Jesus nunca falha! Ele sempre nos socorre. Basta um coração quebrantado e o resto Ele fará. (Sl.51:17).

 

Marcado sob

Texto: “Romanos 5:6-11

INTRODUÇÃO:

O texto básico desta ministração é um convite para conhecermos o Senhor da misericórdia. Ele nos incentiva a irmos em direção ao trono de Deus para recebermos o que há em Seu coração. No coração de Deus, há misericórdia e graça abundante.

  1. O QUE É MISERICÓRDIA E GRAÇA

Misericórdia é não receber o castigo que se merece. Graça é receber a benção que não se merece, é um favor imerecido.

A Bíblia ensina que todos os homens são pecadores e não há um perfeito se quer. Também ensina que o resultado do pecado é a morte. Então, o homem, que é pecador, recebe a misericórdia no sentido de que merece ser punido pelos seus erros, mas Deus lhe oferece perdão. Ele também recebe a graça de Deus, porque não merece ser socorrido, mas o Senhor oferece salvação a qualquer um que a desejar. (Ef. 2:4-5).

Existem pessoas que concebem uma ideia errada de Deus, pois pensam que Ele é castigador, severo e durão. Mas, Ele não é. Ele é, sim, um Deus amável e terno. Esta é a confiança que devemos ter. Mesmo quando estamos errados, podemos confiar no Seu grande coração. Nossos pecados promovem laços e algemas em nossas vidas, e só Deus pode nos libertar. Precisamos ser socorridos e Ele tem poder sobre a morte e o inferno.

  1. O PERDÃO LIBERTA

Muitos são os que estão algemados com a falta do perdão. Quem não perdoa adoece na alma. O coração se torna uma caverna de sentimentos ruins, cheio de escuridão. As lembranças da dor provocada pelas ofensas, traições e rejeição, vão alienando o indivíduo, subtraindo sua capacidade de confiar e amar as pessoas, e só chegando ao arrependimento, confessando a Deus as feridas da alma, perdoando a quem lhe ofendeu e recebendo o perdão de Deus, é que se alcança a cura.

Quem é experimentado em misericórdia consegue exercer misericórdia com o próximo, e o inverso também é verdadeiro. Por isso a Palavra nos convida: “Chegai-vos a Deus e ele se achegará a vós” (Tg 4:8). Assim receberemos Seu perdão, bem como aprendemos a perdoar aos que nos ferem e odeiam. Não é porque se tem dificuldade para perdoar que Deus também seja assim. A confusão ocorre quando queremos assemelhar Deus a nós, quando, em verdade, nós é que temos que nos assemelhar a Ele.

CONCLUSÃO:

Hoje é o dia oportuno para se achegar ao trono da graça. Devemos confiar e ter fé, pois Deus é bom, cheio de amor e misericórdia. Ele deseja derramar sobre nossas vidas misericórdia e graça. Todos nós somos carentes disso, porque todos nós temos falhas. Assim como falhamos, os outros falham também. Porém, Jesus nunca falha! Ele sempre nos socorre. Basta um coração quebrantado e o resto Ele fará. (Sl.51:17).

 

Marcado sob

Programações

Blog do MiR PBS