16 Setembro 2019 Publicado em Células Escrito por 

Fazendo a Vontade de Deus

Avalie este item
(0 votos)

Texto:   1 Coríntios 10:23-24

INTRODUÇÃO

Todos nós que conhecemos a Deus, somos confrontados diariamente com o desafio de entendermos se nosso procedimento está de acordo com a Sua Palavra, e se estamos fazendo a Sua perfeita vontade.

1.   COMO CONHECER A VONTADE DE DEUS

Assim nos diz a Palavra: “Todas as coisas me são lícitas” (v.23). É claro que Paulo não estava falando em termos absolutos, pois não temos permissão de fazer o que a Palavra de Deus proíbe expressamente, como: matar, roubar, adulterar, fornicar, adorar ídolos, mentir, dar falso testemunho etc. Paulo está tratando de coisas que não são proibidas pelas Escrituras.

Geralmente, quando não existem proibições declaradas na Bíblia, é onde pairam a maioria das dúvidas, se podemos ou não fazer certas coisas. Porém, nem sempre, ao aplicarmos esse princípio, podemos fazer as coisas sem restrições.

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm.”. Ou seja: pelo livre arbítrio podemos fazer tudo, mas nem tudo é proveitoso. Ainda que as Escrituras não proíbam expressamente isso não quer dizer que as nossas ações sejam proveitosas. A Palavra está nos ensinando que os nossos atos devem gerar algum benefício, tanto para nós como para os outros. Ir a certos lugares pode ser lícito, mas será que é conveniente?  O que eu vou fazer é realmente proveitoso para mim e para outros? “Todas as coisas são lícitas.” Porém, a Palavra acrescenta: “mas nem todas as coisas edificam”. Todas as nossas atitudes deve resultar em edificação, não só para mim, mas também para outros.

2.  NÃO BUSCAR SÓ OS NOSSOS INTERESSES

“Ninguém busque o seu próprio interesse, e sim, o de outrem. Assim como também eu procuro em tudo ser agradável a todos, não buscando o meu próprio interesse, mas o de muitos, para que sejam salvos” (2Co 10:24, 33).

A Palavra está nos dizendo que a nossa conduta sempre gera efeitos sobre outras pessoas. Devemos, portanto, nos empenhar para que em tudo o que fizermos possamos dar bom testemunho, a fim de que o nome de Jesus seja glorificado em nossas vidas.

3.  FAZER TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS

“Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (2Co 10:31).

Tudo que fazemos deve ser para a glória de Deus. Ele deve não somente ser glorificado nos templos, mas também na nossa vida. Devemos nos perguntar: quantas coisas em nossas lidas diárias são feitas para a glória de Deus? Ou será que buscamos apenas o nosso próprio interesse? Será que o que faço está escandalizando alguém, ou faz alguém tropeçar? “Não vos torneis causa de tropeço nem para judeus, nem para gentios, nem tão pouco para a igreja de Deus” (2Co 10:32).

CONCLUSÃO

Quantas vezes o nome do Senhor tem sido blasfemado por causa dos maus procedimentos de Seus filhos? Quantos têm tropeçado por causa de suas condutas egoístas e alheias aos ensinamentos da Palavra de Deus? Que possamos dizer como Jesus: “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou” (Jo 4:34).

Ler 43 vezes
  • Pr Orimar Carneiro

    Pastor no MiR PBS

    MiR Parauapebas

    Website.: twitter.com/orimarcarneiro

    Deixe um comentário

    Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

    Programações

    Blog do MiR PBS