11 Janeiro 2021 Publicado em Células Escrito por 

JUSTIFICADOS PELA FÉ

Avalie este item
(0 votos)

Texto:  ROMANOS 5:1-2

INTRODUÇÃO

A palavra “justificado” significa tornado justo. A justificação é um ato da graça de Deus, através da qual Ele imputa à pessoa que crê em Jesus, a justiça de Cristo, declarando-a justa. Como está escrito na Palavra de Deus, ninguém é justo (Rm 3.10). Todos os nossos pecados estão registrados no Livro de Deus (Ap 20.12) e também na nossa consciência (Jr 17.1). No seu estado original, todos estão debaixo da condenação (Rm 3.19). Nenhum homem tem condições próprias para livrar-se da sua culpa. Ninguém pode salvar a si mesmo. Adão e Eva procuraram fazer vestes, mas essa atitude não resolveu o seu problema diante de Deus. Boas obras não justificam o homem diante de Deus ( Ef 2.8-9; Gl 2.16). JESUS declarou que “se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus” (Mt 5.20) e a justiça dos fariseus se baseava em suas próprias obras. (Mt 18.9-14). Esta é pois a questão: “Como se justificaria o homem para com Deus?”

1. CRISTO É A NOSSA JUSTIÇA.

 A JUSTIÇA de Deus é perfeita e não muda. O homem pecador está debaixo de uma condenação, pois, como está escrito, “O salário do pecado é a morte” (Rm 6.23). Devido ao pecado, o homem está separado de Deus (Rm 3.23) e sob a condenação da Lei. Entretanto, Deus ama o homem que Ele criou para estar junto a Ele e não deseja que ele esteja distante. Por essa razão, Deus, no seu grande amor, providenciou o sacrifício do Seu próprio Filho, JESUS CRISTO para, através desse ato de morrer na cruz por nós, cumprir a exigência da justiça divina (Jo 3.16). Como isso foi possível? Jesus tornou-se nosso mediador. Jesus, para ser mediador entre Deus e os homens, precisou tomar a forma de homem, isto é, Ele que era só espírito, tomou também a forma de carne (Jo1.14; Fp 2.6-8; Hb 2.14).  Jesus tomou sobre si a culpa dos homens. A grande dívida, diante de Deus, que existia na conta humana, foi transferida para a conta de Jesus. E assim, Jesus se tornou devedor diante da Lei de Deus e precisou pagar essa dívida que era nossa, através de um alto preço: o preço de Seu sangue derramado na cruz do Calvário. Dessa forma, Ele foi feito pecado (2Co 5.21), tornando-se maldição por nós (Gl 3.13). Tudo isso aconteceu quando Jesus, no Getsêmani, bebeu o cálice que continha a nossa culpa (Lc 22.42. JESUS tornou-se a NOSSA JUSTIÇA. Ele é a nossa justiça por tudo o que fez em nosso favor como nosso substituto diante de Deus e da Lei. Conforme está escrito, Ele “por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para a nossa justificação” (Rm 4.24,25).

2.  TEMOS PAZ COM DEUS.

Distante de Deus, debaixo da condenação e carregando o peso da culpa do pecado, o homem não tem paz. Os prazeres e a alegria do mundo são passageiros e a paz do mundo é enganadora.  A paz que Jesus tem para nós é a paz verdadeira, duradoura, conforme está em Jo 14.27:” Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou: não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”. Para experimentar a paz, é necessário estar unido a Cristo numa fé ativa. O primeiro passo é crer no Senhor Jesus Cristo. Quando a pessoa assim faz, é justificada pela fé  e assim tem paz com Deus. Juntamente com a fé, devemos andar em obediência aos mandamentos de Deus a fim de vivermos em paz ( Lv 26. 3-6). 

 

CONCLUSÃO

 Quando Jesus derramou o seu sangue, abriu-se a fonte da graça para a justificação de todo aquele que nEle crê (Rm 5.9; 1 Pe 1.18-19). O resultado é que “Sendo pois justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”. Assim, o crente em Jesus, antes separado de Deus, e agora vestido pelo manto da justiça de Jesus (Is 61.10), pode apresentar-se diante de Deus, justificado pela fé.

Ler 81 vezes
Última modificação em Segunda, 11 Janeiro 2021 16:42
  • Pr Orimar Carneiro

    Pastor no MiR PBS

    MiR Parauapebas

    Website.: twitter.com/orimarcarneiro

    Deixe um comentário

    Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

    MiR PARAUAPEBAS

    Programações

    Blog do MiR PARAUAPEBAS