MiR PBS - Blog
Segunda, 25 Janeiro 2021 20:00

TRANSFORMADOS DE VERDADE

Texto:  2Co 3:18

INTRODUÇÃO

Ser uma nova criatura é ser transformado pelo poder de Deus, deixando as velhas coisas para trás e permitir que tudo se faça novo. É não viver e não aceitar mais os padrões deste mundo. O dicionário traz a seguinte descrição sobre a palavra transformação: Mudança; qualquer tipo de alteração que modifica ou dá uma nova forma a alguma coisa.” Assim devemos nos mostrar para o mundo: uma vida diferente dos padrões que ele vive. 

1.  O PODER QUE TRANSFORMA

Em nossos dias, muitas pessoas têm se submetido a muitos procedimentos estéticos para mostrar uma nova aparência, como se isso pudesse também torná-las diferentes na sua maneira de ser. Muitos produtos são lançados todos os dias, prometendo uma transformação na aparência. Todo esse cuidado pode fazer bem às pessoas por certo tempo, mas o que de fato transforma a vida de qualquer pessoa é, unicamente, o poder do Espírito Santo através da Palavra de Deus. Pessoas que verdadeiramente querem ser transformadas precisam renunciar a tudo que foge aos padrões do Evangelho de Cristo, em prol de algo novo que a Palavra gera de dentro para fora de nós. Isso nos leva a experimentar uma viva e verdadeira transformação.

2.   TRANSFORMADOS DE GLÓRIA EM GLÓRIA

Transformados de gloria em gloria é mais do que ir à Igreja. Precisamos, além de crer em Jesus e em Seus ensinamentos conhecer a Palavra da Verdade, buscar nela, diariamente, a revelação e a intimidade constante com o Senhor, desenvolvendo com Ele um relacionamento profundo. O espelho é um instrumento que usamos no dia a dia, cuja característica mais especial é a capacidade de refletir, de frente, a nossa verdadeira imagem. A Palavra nos compara com espelhos, porque Deus está à procura de pessoas que reflitam a Sua glória nesta terra (2Co 3:18). Ele quer usar nossas vidas como agentes de transformação afim de fazermos maravilhas e testemunharmos a respeito de Cristo para que as pessoas alcancem a Salvação Eterna!

CONCLUSÃO

A vontade de Deus é que sejamos pessoas transformadas, preparadas para toda boa obra (2Tm 3:17), refletindo o Amor e a Luz de Jesus. Assim, Ele apagará as marcas do velho homem, curará nossa alma, dando-nos um coração novo e pondo dentro de nós um espírito novo, transformando nosso coração de pedra em um coração de carne (Ez 36:26). Dessa forma, viveremos uma nova vida, transformada pelo Espírito Santo. Amém!

Publicado em Células
Segunda, 18 Janeiro 2021 17:32

VEM ORAR

Textos: Jeremias 29:12 e Lucas 11:1

 

INTRODUÇÃO:
Você já deve ter ouvido a frase que diz: Ora que melhora! A oração não é algo tão desconhecido para as pessoas. Você deve conhecer alguém que não sai de casa sem antes fazer uma oração, não faz uma prova ou enfrenta alguma situação antes de fazer suas preces. É mais comum do que imaginamos encontrar pessoas que diariamente e metodicamente oram. Mas será que essas orações são realmente eficazes? Vejamos algumas coisas importantes a respeito deste tema:

1. COM QUE FREQUNCIA VOCÊ COSTUMA ORAR?

Vivemos num país denominado Cristão, ou seja, composto por maioria que acredita em Jesus Cristo. Uma das práticas do cristianismo é a oração. Porém, muitas pessoas não se dão conta do quão importante a oração realmente é. No texto que lemos de Jeremias, vemos que o próprio Deus nos fala que se orarmos a Ele, Ele nos ouvirá. Mas esta oração precisa ser sincera e verdadeira. A oração é um momento importante de diálogo entre nós e Deus. Podemos ter a certeza de que quando separamos este momento para conversar com Deus, Ele realmente está a nos ouvir. Orar é mais do que um ritual ou hábito ensinado desde criança pelos pais. Em vários momentos na Bíblia vemos que Jesus sempre procura tirar um tempo para orar, Ele sabia a importância da oração.

2. O QUE É NECESSÁRIO PARA QUE NOSSA ORAÇÃO SEJA EFICAZ?

 Existe muitos equívocos a respeito da oração. Vejamos alguns critérios importantes:

I- Oração é ação. Talvez você mesmo já deve ter declarado que estava orando por determinada pessoa ou situação, mas você estava somente pensando e não orando de fato. É muito comum as pessoas se enganarem achando que porque pensam em determinada situação ou pessoa e desejam que algo bom aconteça, estão orando. Oração é uma ação. É levar até Deus, por meio de Jesus (João 14:13), os nossos pedidos. Dizer a Ele o que realmente está acontecendo e do que necessitamos (Fl 4:6).

II- É preciso estar atento. Muitas vezes, somos chamados por Deus para orar, mas não conseguimos compreender este chamado. Em alguns momentos, Deus nos leva a interceder por pessoas e situações.

III – Não podemos cessar de orar. Infelizmente, algumas pessoas pensam que porque não obtiveram algum resultado depois de orar, então podem parar de orar. I Tessalonicenses 5: 17, a Bíblia nos dá uma orientação muito clara: não parem de orar. Nossas orações precisam continuar, elas realmente fazem a diferença. Não pare de orar.

CONCLUSÃO:

A oração é um princípio muito importante da palavra de Deus. Esta prática deve se tornar parte da nossa vida. Proponha-se a orar mais, a orar melhor e você, com certeza verá quão grande diferença ela fará em sua vida e na vida das pessoas ao seu redor. Você gostaria de ter uma vida de oração assim como Jesus e provar dos seus benefícios? Levante a mão, vamos orar.

Publicado em Células
Segunda, 11 Janeiro 2021 16:40

JUSTIFICADOS PELA FÉ

Texto:  ROMANOS 5:1-2

INTRODUÇÃO

A palavra “justificado” significa tornado justo. A justificação é um ato da graça de Deus, através da qual Ele imputa à pessoa que crê em Jesus, a justiça de Cristo, declarando-a justa. Como está escrito na Palavra de Deus, ninguém é justo (Rm 3.10). Todos os nossos pecados estão registrados no Livro de Deus (Ap 20.12) e também na nossa consciência (Jr 17.1). No seu estado original, todos estão debaixo da condenação (Rm 3.19). Nenhum homem tem condições próprias para livrar-se da sua culpa. Ninguém pode salvar a si mesmo. Adão e Eva procuraram fazer vestes, mas essa atitude não resolveu o seu problema diante de Deus. Boas obras não justificam o homem diante de Deus ( Ef 2.8-9; Gl 2.16). JESUS declarou que “se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no Reino dos céus” (Mt 5.20) e a justiça dos fariseus se baseava em suas próprias obras. (Mt 18.9-14). Esta é pois a questão: “Como se justificaria o homem para com Deus?”

1. CRISTO É A NOSSA JUSTIÇA.

 A JUSTIÇA de Deus é perfeita e não muda. O homem pecador está debaixo de uma condenação, pois, como está escrito, “O salário do pecado é a morte” (Rm 6.23). Devido ao pecado, o homem está separado de Deus (Rm 3.23) e sob a condenação da Lei. Entretanto, Deus ama o homem que Ele criou para estar junto a Ele e não deseja que ele esteja distante. Por essa razão, Deus, no seu grande amor, providenciou o sacrifício do Seu próprio Filho, JESUS CRISTO para, através desse ato de morrer na cruz por nós, cumprir a exigência da justiça divina (Jo 3.16). Como isso foi possível? Jesus tornou-se nosso mediador. Jesus, para ser mediador entre Deus e os homens, precisou tomar a forma de homem, isto é, Ele que era só espírito, tomou também a forma de carne (Jo1.14; Fp 2.6-8; Hb 2.14).  Jesus tomou sobre si a culpa dos homens. A grande dívida, diante de Deus, que existia na conta humana, foi transferida para a conta de Jesus. E assim, Jesus se tornou devedor diante da Lei de Deus e precisou pagar essa dívida que era nossa, através de um alto preço: o preço de Seu sangue derramado na cruz do Calvário. Dessa forma, Ele foi feito pecado (2Co 5.21), tornando-se maldição por nós (Gl 3.13). Tudo isso aconteceu quando Jesus, no Getsêmani, bebeu o cálice que continha a nossa culpa (Lc 22.42. JESUS tornou-se a NOSSA JUSTIÇA. Ele é a nossa justiça por tudo o que fez em nosso favor como nosso substituto diante de Deus e da Lei. Conforme está escrito, Ele “por nossos pecados foi entregue, e ressuscitou para a nossa justificação” (Rm 4.24,25).

2.  TEMOS PAZ COM DEUS.

Distante de Deus, debaixo da condenação e carregando o peso da culpa do pecado, o homem não tem paz. Os prazeres e a alegria do mundo são passageiros e a paz do mundo é enganadora.  A paz que Jesus tem para nós é a paz verdadeira, duradoura, conforme está em Jo 14.27:” Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou: não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”. Para experimentar a paz, é necessário estar unido a Cristo numa fé ativa. O primeiro passo é crer no Senhor Jesus Cristo. Quando a pessoa assim faz, é justificada pela fé  e assim tem paz com Deus. Juntamente com a fé, devemos andar em obediência aos mandamentos de Deus a fim de vivermos em paz ( Lv 26. 3-6). 

 

CONCLUSÃO

 Quando Jesus derramou o seu sangue, abriu-se a fonte da graça para a justificação de todo aquele que nEle crê (Rm 5.9; 1 Pe 1.18-19). O resultado é que “Sendo pois justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”. Assim, o crente em Jesus, antes separado de Deus, e agora vestido pelo manto da justiça de Jesus (Is 61.10), pode apresentar-se diante de Deus, justificado pela fé.

Publicado em Células
Segunda, 04 Janeiro 2021 21:40

O FINAL QUE DEUS PLANEJOU

Texto:  Jeremias 29:11 Êxodo 16:4

INTRODUÇÃO

Todos nós gostamos de finais vitoriosos e felizes. Nossa tendência, como seres humanos, é a de sempre desejar que o melhor aconteça. Aliás, o que nos motiva a continuar acompanhando alguma história é justamente a curiosidade de conhecer o seu final.   A boa notícia é que, para aqueles que andam com Deus, nenhum final será triste, pois a Bíblia nos diz que os planos de Deus para nós são bons e que Ele nos dá o fim que desejamos (Jeremias 29.11). Portanto, andando com o Senhor, temos a certeza de que a nossa história terá um final feliz, e não somente isto, mas também um final vitorioso, de quem completou a carreira e terminou bem sua jornada.

1. VOCÊ CONHECE ALGUÉM QUE NÃO TERMINOU BEM?

Todos nós conhecemos pelo menos uma pessoa que teve o fim da sua vida bem diferente daquilo que Deus planejou para ela. Este é um problema que pode acontecer com qualquer um de nós. Infelizmente, este foi o caso do povo de Deus que foi liberto da escravidão no Egito. Deus os libertou para dar a eles uma vida melhor e um final feliz e vitorioso. Mas para chegar a este fim, eles deveriam antes ser aprovados, sendo obedientes ao Senhor. Porém, isto não aconteceu. Os israelitas foram desobedientes às ordens e instruções que o Senhor havia deixado para eles e, por isso, a maioria deles não teve o final que Deus havia desejado. Esta história não precisa acontecer duas vezes, não é mesmo? Muitas vezes o Senhor tem pedido a nós que abandonemos nossos pecados, que podem ser; vícios, relacionamentos errados, mentiras, etc. Às vezes o Senhor tem nos alertado a parar de murmurar ou reclamar da nossa vida, pois todo pecado traz para nós sofrimento e consequências terríveis. Se quisermos chegar ao fim de nossas vidas da maneira como Deus planejou, então devemos começar a ter novas atitudes hoje. A Bíblia nos diz que tudo o que o homem semear, colherá (Gálatas 6.7), ou seja, as atitudes que temos hoje perante Deus irão determinar se nosso final será feliz ou se será um desastre.

2. O QUE DEVEMOS FAZER PARA TER O FIM QUE DEUS PLANEJOU?

Precisamos entender, de uma vez por todas, que a história que o Senhor escreveu para nós é muito melhor do que a que nós muitas vezes queremos escrever. Porém, o Senhor nos dá a chance de escolhermos o que queremos, por meio do livre arbítrio, mas se não formos sábios, podemos fazer escolhas erradas e, por meio delas, prejudicar o plano de Deus para nós, alterando seu final. Para que isso não aconteça, precisamos tomar cuidado para não ter o mesmo comportamento que o povo de Israel, enquanto atravessavam o deserto. Se agirmos como eles, então toda a história se repetirá.


CONCLUSÃO:

 Apesar de Deus ter escrito uma linda história para nós e de Ele ter planos maravilhosos para as nossas vidas, nós podemos nos desviar deste projeto quando não lhe obedecemos de todo o nosso coração, quando não somos gratos a Ele por tudo o que fez por nós e quando olhamos para trás, desejando voltar para a velha vida de pecado.

Publicado em Células

MiR PARAUAPEBAS

Programações

Blog do MiR PARAUAPEBAS